PPGH/CCHLA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA Telefone/Ramal: Não informado https://posgraduacao.ufrn.br/ppgh

Banca de QUALIFICAÇÃO: BENIGNA INGRED AURELIA BEZERRIL

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : BENIGNA INGRED AURELIA BEZERRIL
DATA : 30/08/2022
HORA: 19:00
LOCAL: meet.google.com/mqx-hcmg-zbd
TÍTULO:

NA ORLA CINZENTA DO HORIZONTE: O ESPAÇO DAS MEMÓRIAS DE MARIA FIRMINA DOS REIS (1859-1917).


PALAVRAS-CHAVES:

Maria  Firmina  dos  Reis;  História  e  Literatura;  História  das  mulheres, Literatura abolicionista; Espaço literário.

Maria Firmina dos Reis; História e Literatura; História das mulheres,
Literatura abolicionista; Espaço literário.

PÁGINAS: 67
RESUMO:

Maria  Firmina  dos  Reis  foi  uma  escritora,  professora  e  compositora  maranhense  (1825-1917).  Sua  primeira  obra  publicada,  Úrsula  (1859)  é  considerada  o  primeiro  romance abolicionista do Brasil. Este trabalho tem como objetivo investigar o espaço das memórias na literatura de Maria Firmina dos Reis. Para isso, é investigado o contexto em que a autora viveu: o Maranhão do século XIX e o espaço ocupado por ela na literatura e na imprensa. As experiências de Firmina dos Reis enquanto mulher negra e a construção de seu espaço literário são relacionados com o objetivo de analisar o protagonismo negro e feminino em suas obras. As  fontes principais  elencadas  para  essa  investigação  são  o  romance Úrsula (1859) e os contos A escrava (1887) e Gupeva (1861). Os jornais do Maranhão do século XIX são mobilizados como fontes de cotejo. A literatura neste trabalho é pensada enquanto espaço das memórias de Firmina dos Reis a partir de Aleida Assmann, Jacques Le Goff, Maurice  Blanchot  e  Michel  de  Certeau.  Esse  espaço  construído  por  meio  da  escrita  é considerado  como  lugar  de  atuação  do  sujeito  no  qual  suas  experiências  e  vivências transbordam  nas  representações  literárias.  Esse  sistema  de  representações  vinculado  às experiências do sujeito  é analisado a partir de  Conceição Evaristo  e Jacques Derrida.  A literatura aqui também é pensada enquanto espaço político a partir das considerações de Rene Rémond, Gilles Deleuze e Félix Guattari. Busca-se compreender como Firmina dos Reis representa a sociedade oitocentista na sua literatura, especialmente no que diz respeito às mulheres e aos negros, bem como as possíveis críticas que podem surgir de suas tramas, tendo em vista sua condição de mulher negra no Brasil do século XIX. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2277360 - MAGNO FRANCISCO DE JESUS SANTOS
Interna - 1170781 - MARGARIDA MARIA DIAS DE OLIVEIRA
Interno - 1280374 - RENATO AMADO PEIXOTO
Notícia cadastrada em: 15/08/2022 15:01
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa23-producao.info.ufrn.br.sigaa23-producao