PPGH/CCHLA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA Telefone/Ramal: Não informado https://posgraduacao.ufrn.br/ppgh

Banca de DEFESA: MIQUÉIAS DE MEDEIROS BEZERRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MIQUÉIAS DE MEDEIROS BEZERRA
DATA : 01/07/2021
HORA: 14:00
LOCAL: meet.google.com/pwa-bbmn-osc
TÍTULO:

“REVOLVENDO AS CINZAS DO PASSADO”: A CONSTRUÇÃO DO ESPAÇO SACROPROFÂNICO NOS SANTUÁRIOS AOS PROTOMÁRTIRES DO BRASIL, PELA ARQUIDIOCESE DE NATAL/RN (1988-2017).


PALAVRAS-CHAVES:

Usos do passado. Espaço sacroprofânico. Espaço sagrado. Protomártires do Brasil. Mártires de Cunhaú e Uruaçu.


PÁGINAS: 131
RESUMO:

Este trabalho pretende lidar com a problemática dos usos do passado pelo presente. Para tal fim, debruça-se sobre os espaços sagrados devotados aos Mártires de Cunhaú e Uruaçu, ou Protomártires do Brasil, mais especificamente, tangente aos três santuários, centros de função religiosa, criados pela Arquidiocese de Natal em Canguaretama, São Gonçalo do Amarante e Natal, municípios do Rio Grande do Norte. Visa-se investigar os elementos recapturados e agenciados pela Igreja, seus fiéis e colaboradores com vista à composição dos santuários, no espaço temporal de 29 anos (1988 a 2017), no qual foi demandado beatificação, canonização de atores e sujeitos que sofreram martírio e a construção de espaços sagrados. Para tal fim, nessa circunspecção, almeja-se analisar e refletir a respeito de que tecnologias de memória foram cooptadas e a quais retóricas na contemporaneidade se pretenderam os santuários; de que forma e com qual intuito os vestígios do passado e de uma memória foram aludidos e aventados publicamente pelos processos de feitura dos santuários; e que tipo de topofilias esses espaços sagrados pretenderam aflorar, disparar ou estabelecer no público apreciador. Os principais pressupostos teórico-metodológicos advêm do conceito de história como mito e da operação historiográfica, bem como o de hierópolis, referindo-se a um local de confluência de uma demonstração de fé que adquire nítida espacialidade, pois envolve o deslocamento de um lugar a outro. Há nas hierópolis uma ritualística sacroprofânica na qual o sagrado e o profano, apesar de distintos, não se opõem e nem se excluem. Nestes vínculos, demonstra-se uma força propulsora do fenômeno religioso redimensionando o econômico, o político, o social, o lugar e a organização espacial. Quanto às fontes, soma-se algumas obras historiográficas que abordaram os mártires e a primeira edição do livro Protomártires do Brasil: Cunhaú e Uruaçu – RN, do monsenhor Francisco de Assis Pereira, postulador da causa dos mártires. Ao concluirmos nossas análises e reflexões, observamos que fora efetuado um uso mitológico do passado, criando-se uma narrativa e espaços dentro dos quais os fiéis pudessem habitar e encontrar sentido.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1244548 - EVANDRO DOS SANTOS
Externo à Instituição - FRANCISCO REGIS LOPES RAMOS - UFC
Presidente - 2277360 - MAGNO FRANCISCO DE JESUS SANTOS
Interno - 1280374 - RENATO AMADO PEIXOTO
Notícia cadastrada em: 15/06/2021 09:38
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa14-producao.info.ufrn.br.sigaa14-producao