PPGH/CCHLA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA Telefone/Ramal: Não informado https://posgraduacao.ufrn.br/ppgh

Banca de QUALIFICAÇÃO: LUCICLEIDE DA SILVA ARAÚJO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LUCICLEIDE DA SILVA ARAÚJO
DATA : 14/09/2018
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório 3 - Instituto Ágora
TÍTULO:

O Corpo em Cena: discursos e representações do feminino trágico no espaço da Àsty ateniense (século V. a.C.).


PALAVRAS-CHAVES:

Feminino Trágico. Corpo Feminino. Espaço Cênico. Teatro Grego Antigo. Àsty ateniense.


PÁGINAS: 160
RESUMO:

Este trabalho discute as representações do corpo feminino no contexto do espaço urbano em Atenas no século V a.C. (-a. 431-414 a.C.), analisando personagens femininos e contextos no discurso da tragédia produzida na pólis grega. Para tanto, a historicização do corpo feminino é acessada em fontes documentais a partir de quatro peças teatrais clássicas do gênero trágico escritas pelo tragediógrafo grego Eurípides (gr. Εὐριπίδης) - c. 480 a.C.- 406 a.C.) e apresentadas nos festivais das Dionísiacas Urbanas em Atenas em honra ao deus Dioniso: Medeia -431 a.C. (gr. Μήδεια), Hécuba -424 a.C. (gr. Ἑκάβη), Electra – 413 a.C. (gr. Ἠλέκτρα) e Ifigênia em Taurus – 414 a.C. (gr. Ἰφιγένεια ἡ ἐν Ταύροις). Sobre o que me propus investigar busco, a partir da análise dos discursos, compreender as representações sobre as mulheres que permeiam a Antiguidade clássica nessas peças teatrais, analisando como o corpo dessas mulheres poderiam ser lidos, expressados, socializados. Intento compreender o lugar (τόπος) que o feminino ocupava na sociedade ateniense, assim como os signos que codificam esse corpo, as subjetividades inscritas em seus gestos no espaço cênico encenado no contexto da Àsty (espaço urbano) da pólis grega. Neste sentido, exploro as representações do feminino a partir de temas específicos que perpassam essas obras, tais como: família, rituais sagrados (fúnebres e de adoração), política e sacrifício. O referencial teórico que embasa a percepção dessa experiência mítica do feminino e a representação do corpo feminino na sociedade grega do século V a.C. é acessado a partir dos conceitos de Regimes de Gênero (Régimes de Genre), de Violaine Sebillotte Cuchet (2007); Espaço Feminino (Female Space), de Aspasia Skouroumouni Stavrinou (2011), e Espaço Teatral ( Espace théâtral) a partir de Anne Ubersfeld (2005), priorizando o modelo actancial da semiótica teatral como categoria analítica.

 


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2371256 - AIRAN DOS SANTOS BORGES
Interno - 336185 - DURVAL MUNIZ DE ALBUQUERQUE JUNIOR
Presidente - 2009382 - LYVIA VASCONCELOS BAPTISTA
Interno - 1543236 - MARCIA SEVERINA VASQUES
Notícia cadastrada em: 04/09/2018 15:04
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa14-producao.info.ufrn.br.sigaa14-producao