PPGH/CCHLA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA Telefone/Ramal: Não informado https://posgraduacao.ufrn.br/ppgh

Banca de QUALIFICAÇÃO: GABRIEL JOSE POCHAPSKI

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : GABRIEL JOSE POCHAPSKI
DATA : 23/08/2017
HORA: 10:30
LOCAL: Auditório A do CCHLA
TÍTULO:

ENTRE CORPOS E ESPAÇOS: UMA HISTÓRIA DA CRIMINALIDADE NA MATA DE ARAUCÁRIAS (MALLET-PR, 1930-1950)


PALAVRAS-CHAVES:

Palavras-Chave: Cartografia; Corpo; Criminalidade; Espaço; Processos Criminais.


PÁGINAS: 148
RESUMO:

RESUMO

Este trabalho busca analisar as relações entre o corpo e o espaço nos crimes ocorridos no município de Mallet, localizado nas matas de araucárias do estado do Paraná. O objetivo principal é estudar o fenômeno da criminalidade que se intensificou a partir da década de 1930 tendo os corpos como a superfície atingida pelos conflitos. Desde 1890, o território onde se desenvolveu Mallet constituiu-se como um importante foco da colonização europeia no Paraná, principalmente de povos eslavos, como ucranianos e poloneses, imigrantes estes que formavam um dos principais contingentes populacionais que se estabeleceu no sul do Brasil. Em um município caracterizado pelos contatos e interações entre os imigrantes e a população cabocla que ocupou anteriormente as matas de araucárias, os espaços de Mallet foram produzidos e cartografados por tensões, desavenças e conflitos que inscreviam seus efeitos nos corpos dos seus diferentes habitantes. Tendo os processos criminais do Poder Judiciário de Mallet como o principal suporte documental, pretendemos investigar a criminalidade que emergiu a partir de 1930 buscando compreender quais as relações que os corpos estabeleceram com os espaços naquele município; de que modo os conflitos estiveram ligados com as singularidades dos seus moradores; e em que medida o judiciário agiu para centralizar e racionalizar os crimes, os corpos por eles atingidos e seus espaços de ocorrência. Utilizando-se da cartografia como conceito a ser instrumentalizado neste estudo, objetivamos compreender os diferentes fluxos, devires e movimentos corporais que produziram os espaços e os crimes ocorridos nas matas de araucárias, onde se situava Mallet. No que concerne aos aspectos metodológicos, optamos pelo uso da história serial para analisar as mudanças nas tensões e conflitos, os padrões recorrentes, as descontinuidades e permanências na documentação jurídica entre os anos de 1930 a 1950. Por fim, tendo a criminalidade como objeto de estudo, esta pesquisa busca colocar o corpo no centro da narrativa historiográfica; corpos que em suas sensibilidades, gritos e carnes tornaram-se as superfícies de inscrição dos acontecimentos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 336185 - DURVAL MUNIZ DE ALBUQUERQUE JUNIOR
Interno - 1088824 - RAIMUNDO NONATO ARAUJO DA ROCHA
Interno - 1149437 - RAIMUNDO PEREIRA ALENCAR ARRAIS
Notícia cadastrada em: 18/08/2017 18:27
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa10-producao.info.ufrn.br.sigaa10-producao