PPGH/CCHLA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA Telefone/Ramal: Não informado https://posgraduacao.ufrn.br/ppgh

Banca de DEFESA: CAMILA ALVES DUARTE

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CAMILA ALVES DUARTE
DATA: 23/10/2015
HORA: 14:00
LOCAL: C4, setor II
TÍTULO:

“DO ALTO DA COLINA” – A PROVÍNCIA DO RIO GRANDE DO NORTE,  O COMÉRCIO, OS RIOS POTENGI E JUNDIAÍ E O COMPLEXO COMERCIAL DO GUARAPES


PALAVRAS-CHAVES:

Comércio, Rios, Paisagem, Cultura Material e Complexo Comercial do Guarapes.


PÁGINAS: 134
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: História
RESUMO:

O complexo comercial do Guarapes foi durante a segunda metade do século XIX a maior praça comercial da Província do Rio Grande do Norte. Nesse recorte temporal, é possível ver seu florescimento como um dos lugares centrais do comércio na Província, e seu posterior abandono. Esta dissertação tem como objetivo investigar, na sua primeira parte, os caminhos que auxiliam a entender, como o contexto da expansão dos mercados mundiais na segunda metade do século XIX possibilitaram as condições para o surgimento do complexo comercial. No entanto, as relações comerciais estabelecidas nesta Província, por intermédio do complexo comercial, mesmo participando dessa conjuntura de escala global, reservou características particulares em suas relações sociais e comerciais, pois, se tratando de uma Província periférica, atentamos para as singularidades das relações ocorridas nesse espaço. Na segunda parte, procuramos entender a importância que os rios Potengi e Jundiaí tiveram para a instalação do complexo comercial do Guarapes na segunda metade do século XIX. Como a posição geográfica em relação aos rios, possibilitou que esse espaço se tornasse zona de fluxo e confluência de mercadorias distribuídas para as diversas partes do interior da Província. Também acompanhamos o processo que fez esses rios saírem do protagonismo das relações de locomoção e transporte nesse espaço, cedendo lugar as linhas férreas e as estradas de rodagem. Na terceira parte, procuramos entender o complexo comercial do Guarapes em foco. Analisando sua distribuição espacial na paisagem, e como essa organização espacial guardava ao mesmo tempo traços do patriarcalismo brasileiro expostos por Gilberto Freyre, mas também, características “modernas”, devido ao incremento de uma nova cultura material inserida na Província. Também procuramos compreender elementos dessa cultura material que constituía o ambiente do complexo, e como essas fontes materiais são importantes para o entendimento dessa sociedade em estudo. Tratamos desde os maiores fragmentos aos menores, sem hierarquizá-los. Entendendo que, o estudo associado das fontes escritas e materiais propiciam um ganho no entendimento dos cotidianos dessas pessoas que viveram nesse espaço do complexo na segunda metade do século XIX.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - FRANCISCO REGIS LOPES RAMOS - UFC
Presidente - 1149464 - HELDER DO NASCIMENTO VIANA
Interno - 1788270 - JULIANA TEIXEIRA SOUZA
Externo ao Programa - 2279106 - ROBERTO AIRON SILVA
Notícia cadastrada em: 22/10/2015 15:09
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa20-producao.info.ufrn.br.sigaa20-producao