Banca de DEFESA: SARAH CAMILLA FERREIRA DE OLIVEIRA LIMA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : SARAH CAMILLA FERREIRA DE OLIVEIRA LIMA
DATA : 16/09/2021
HORA: 16:00
LOCAL: https://meet.google.com/hnc-rexc-bjm
TÍTULO:

IMPROVISANDO NA ARTE: VIVÊNCIAS DE MÚSICOS POPULARES NA PERFORMANCE CRIATIVA


PALAVRAS-CHAVES:

criatividade musical; improvisação; vivências; psicologia histórico-cultural.


PÁGINAS: 142
RESUMO:

Na Psicologia Histórico-cultural a música é entendida como uma atividade humana produzida em contexto social, à medida que o artista vivencia e se apropria dos elementos musicais – já postos cultural e historicamente –, também passa a poder produzir ou reproduzir sua arte. Conduzindo essas reflexões para a criatividade musical, especialmente a improvisação, deparamo-nos com uma criação em movimento, durante a performance, mas que é resultado do conjunto de experiências do artista. Desse modo, diferentes vivências musicais levam a diferentes modos de elaboração e compreensão da improvisação. O objetivo principal desta dissertação é investigar as vivências, concepções e estratégias de performance criativa em músicos acadêmicos e autodidatas. Participaram 4 musicistas, – 2 acadêmicos e 2 autodidatas – com performances notadamente criativas e improvisadas. A coleta ocorreu em 2 fases por vídeoconferência: (1) um questionário socioeconômico e de práticas musicais e (2) uma entrevista semiestruturada individual sobre a trajetória musical e concepções de performance criativa. A análise dos dados baseou-se nas concepções bakhtinianas de discurso dialógico. A primeira etapa de análise teve como foco as informações do questionário que possibilitaram a caracterização dos perfis da atividade de cada participantes. A análise da entrevista possibilitou a identificação e agrupamento de unidades de significado e categorização. Buscou-se relacionar as partes, os núcleos de análise encontrados, e os discursos dos participantes, tendo como foco a análise da relação dialética. Como resultados encontramos discursos categorizados por formação. Na maioria das respostas, os músicos acadêmicos ressaltavam a importância de um conhecimento explícito, e os autodidatas a importância da estilização e da tentativa. Todos os participantes, porém, concordaram sobre a centralidade das vivências de performances criativas para a construção de um improvisador. Tais respostas corroboram o que foi trazido por Vigotski de que a criatividade é constituída pelo amálgama de vivências dos indivíduos que são refratados subjetivamente e geram um produto cultural.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1321136 - IZABEL AUGUSTA HAZIN PIRES
Externa à Instituição - JUANITA ESLAVA
Externa à Instituição - PRISCILA MARQUES - UFRJ
Notícia cadastrada em: 15/09/2021 13:22
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa09-producao.info.ufrn.br.sigaa09-producao