Banca de DEFESA: DÉLIS DE OLIVEIRA FERREIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : DÉLIS DE OLIVEIRA FERREIRA
DATA : 21/08/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Vídeo conferência
TÍTULO:

Avaliação do potencial toxicológico e teratogênico do extrato aquoso das cascas do cajueiro (Anacardium occidenale) utilizando-se peixe zebra (Danio rerio) como modelo experimental.


PALAVRAS-CHAVES:

 Farmacognosia. Compostos fenólicos. Embriotoxicidade. Toxicidade


PÁGINAS: 68
RESUMO:

O cajueiro (Anacardium occidentale) é um vegetal nativo da região Nordeste do Brasil  comumente utilizado na medicina popular devido às suas propriedades anti-inflamatória, adstringente e cicatrizante. No entanto, é utilizado também para indução clandestina ao aborto, não havendo evidências científicas quanto aos efeitos relacionados ao seu uso durante a gestação, sendo escassas as informações quanto a sua composição química em extratos aquosos. Considerando-se que o uso de extratos vegetais no período gestacional pode ocasionar toxicidade tanto materna quanto fetal, objetivou-se neste estudo caracterizar fitoquimicamente a composição química do extrato aquoso (Eaq) das cascas de A. occidentale, além de avaliar os seus possíveis efeitos tóxicos e teratogênicos, utilizando-se o peixe zebra (Danio rerio) como modelo experimental. Os testes de toxicidade aguda em embriões e fêmeas de D. rerio seguiram as recomendações da OECD. Procedeu-se a preparação do extrato vegetal e caracterização fitoquímica por Cromatografia Líquida Acoplada à Espectrometria de Massas (HPLC-MS/MS), seguido de testes para determinar a Dose letal mediana (DL50) nos embriões e fêmeas, testes de comportamento, avaliação de deformações no desenvolvimento, teste de anormalidades no DNA, estimativa da taxa de fertilidade nas progenitoras, e análises microscópicas dos embriões e larvas expostos ao Eaq. Os resultados da caracterização fitoquímica confirmam a presença de ácidos fenólicos, uma variedade de taninos, galoil-hexosideo, catequina, epicatequina e ácido gálico. Os resultados obtidos nos testes de toxicidade sugerem efeito tóxico em fêmeas adultas com alteração no seu perfil comportamental, uma tendência a diminuição de alterações à nível de DNA, não sendo verificado efeito do extrato na fertilidade. Nos embriões expostos às 6, 12, 24 e 48 horas pós fertilização (hpf) à doses subletais do Eaq verificaram-se poucas alterações teratogênicas. Entretanto, quando expostos a doses mais elevadas, observou-se deformação na membrana coriônica e retardo na eclosão, indicando efeitos tóxicos do extrato. Embora os metabólitos especializados encontrados nessa espécie estejam relacionados à atividade antioxidante, sabe-se que em excesso esses metabólitos podem ser tóxicos. Contudo, pôde-se concluir que o Eaq das cascas de A. occidentale além de apresentar indícios de teratogenicidade ao peixe zebra em doses subletais, apresentou evidências de toxicidade em doses mais elevadas, tanto para embriões quanto em fêmeas adultas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1718086 - DANIELLE BARBOSA MORAIS
Externa à Instituição - PRISCILA FERNANDES SILVA - Swansea
Externa ao Programa - 1490222 - SILVANA MARIA ZUCOLOTTO LANGASSNER
Notícia cadastrada em: 11/08/2020 14:14
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao