Banca de DEFESA: JONAS BISPO PESSOA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JONAS BISPO PESSOA
DATA : 06/12/2016
HORA: 09:30
LOCAL: Sala de Reuniões DMOR
TÍTULO:

Avaliação dos efeitos da ação sinérgica do anti-hipertensivo carvedilol e nanopartícula de ouro em células de carcinoma hepatocelular humano.


PALAVRAS-CHAVES:

Câncer de fígado, Apoptose, Nanopartícula de ouro, Carvedilol.


PÁGINAS: 85
RESUMO:

O câncer de fígado é considerado um dos mais prevalente no mundo e não apresenta tratamentos promissores, necessitando de formas alternativas de combate ao tumor. As nanopartículas de ouro têm despontado como uma importante modalidade de tratamento para diversas doenças devido às características de seus nanoconjugados. Somado a isso, o anti-hipertensivo carvedilol tem demonstrado, na literatura recente, potencial antitumoral. Diante disto, o objetivo do trabalho foi avaliar a ação antitumoral, isolada e sinérgica, da nanopartícula de ouro e do anti-hipertensivo carvedilol sobre células tumorais (HepG2) e normais humanas (HEK-293). Para tanto, foi realizado o teste de viabilidade pela exclusão do azul tripan para as doses de NPO (1 µg/ml, 3 µg/ml, 6,25 µg/ml, 12,5 µg/ml, 25 µg/ml e 50µg/ml) e carvedilol (1,5 µM, 3 µM, 6,25 µM, 12,5 µM, 50 µM, 100 µM, 200 µM e 300 µM) para selecionar as que provocassem baixa inibição do crescimento das células da linhagem HepG2. As doses selecionadas da NPO e carvedilol foram utilizadas, isoladas e em sinergismo, para análise de morte celular por citometria de fluxo pela marcação da Anexins V-FITC e iodeto de propídio (PI). Posteriormente, as células tumorais foram analisadas quanto a expressão das proteínas caspase-3, Bcl-2, caspase-8 e MAPK/ERK através da microscopia de imunofluorescência. Em seguida, os níveis de mRNA de FADD, Apaf-1, survivin, MDR-1, EGFR, Akt e mTOR foram mensurados relacionando-os a resistência e morte celular. A avaliação dos alvos intracelulares da NPO, isolada e em sinergismo, foi realizada através da microscopia eletrônica de transmissão (MET). Observando-se da sinergia, as células foram submetidas a nanopartícula de ouro e 24 horas após o tratamento, tratadas com carvedilol.. As melhores doses do teste de viabilidade celular com a NPO (3 µg/ml e 6,25 µg/ml) e carvedilol (1,5 µM e 3 µM) apresentaram, através da citometria de fluxo, atividade pró-apoptótica sobre as células tumorais humanas (HepG2) com resultados estaticamente significativos para o sinergismo (P<0,001). Em relação as células normais humanas (HEK-293), essas mesmas doses não se mostraram promotoras de apoptose, estatisticamente significantes, em ambos os tempos. Houve redução da apoptose total (P<0,05) para a maior dose do sinergismo. Houve forte marcação para caspase-3 e caspase-8, nos grupos tratados com a NPO (6,25 µg/m) e carvedilol (3µM), isoladamente e em sinergismo, e ausência de marcação para Bcl-2 e MAPK/ERK para os mesmos grupos. Além disso, a expressão de mRNA de proteínas anti-apoptóticas (EGFR Akt, mTOR) e de resistência (MDR-1) mostrou-se subregulado, enquanto que, a expressão gênica de proteínas proapoptóticas (FADD), apresentou-se sobre-regulado. A MET demonstrou a internalização da NPO isolada, nas proximidades da membrana plasmática e, em sinergismo, nas proximidades do núcleo. Com isso, pode-se concluir que a ação em sinergismo da NPO e carvedilol mostra ação proapoptótica sobre células tumorais e proteção de células normais.



MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2374605 - AURIGENA ANTUNES DE ARAUJO
Externo à Instituição - JEYMESSON RAPHAEL CARDOSO VIEIRA - UFPE
Presidente - 2329140 - RAIMUNDO FERNANDES DE ARAUJO JUNIOR
Notícia cadastrada em: 30/11/2016 15:21
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa06-producao.info.ufrn.br.sigaa06-producao