PROFLETRAS/CN PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS - PROFLETRAS CURRAIS NOVOS CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO SERIDÓ Telefone/Ramal: Não informado

Banca de DEFESA: MARIA DO LIVRAMENTO SILVA ASSUNÇÃO DE CARVALHO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MARIA DO LIVRAMENTO SILVA ASSUNÇÃO DE CARVALHO
DATA : 26/11/2021
HORA: 14:00
LOCAL: Via Google Meet
TÍTULO:

AS TIRINHAS COMO FERRAMENTA DE LEITURA CRÍTICA NA SALA DE AULA


PALAVRAS-CHAVES:

Língua portuguesa. Leitura. Multimodalidade. Gênero textual tirinha. Intervenção pedagógica.


PÁGINAS: 115
RESUMO:

Uma das competências esperadas no tocante ao ensino de língua portuguesa nas etapas finais do ensino fundamental, segundo a BNCC (2018), é a de que o aluno possa ler, escutar e produzir textos orais, escritos e semióticos que circulam em diferentes campos de atuação e mídias, com compreensão, autonomia, fluência e criticidade. Todavia, esse ainda se constitui como um dos grandes problemas encontrados na sala de aula, haja vista grande parte dos alunos apenas decodificarem o que está posto nos textos, não conseguindo realizar leituras mais profundas dos textos. Frente a isto, este trabalho visa propor estratégias para o desenvolvimento de uma leitura crítica nos alunos do 8º ano do Ensino Fundamental, a partir de um planejamento didático-pedagógico com o gênero multimodal tirinha.  Para embasar nossa pesquisa, recorremos às contribuições teóricas de Dionísio (2011), Dionísio, Vasconcelos e Souza (2014), Cani e Coscarelli (2016) e Ramos (2009) para abordarmos questões referentes aos textos multimodais e à sua leitura; os estudos de Marcuschi (2008) sobre os gêneros textuais; Antunes (2003; 2009) e Geraldi (1997) para embasar o ensino de Língua Portuguesa; e Schneuwly, Dolz e  Noverraz (2004) para discutirmos aspectos concernentes ao trabalho com a sequência didática na sala de aula, o qual embasará a nossa proposta de intervenção. Do ponto de vista metodológico, esse trabalho segue as orientações propostas por Thiollent (1986) sobre pesquisa-ação, com abordagem qualitativa dos dados conforme Flick (2009). Utilizamos, ainda, os direcionamentos apresentados pelos Parâmetros Curriculares Nacionais (1998)  e pela Base Nacional Comum Curricular (2018) no tocante às orientações para o ensino-aprendizagem da língua materna. Os resultados obtidos, por um lado, levaram-nos a reconhecer, a partir do questionário aplicado, que a leitura ainda é concebida pelos alunos numa perspectiva linguística, centrada na linguagem verbal escrita. Por outro lado, os dados revelaram que os alunos são receptivos a textos que se apresentem com imagens, colocando o gênero tirinha como um dos que eles mais costumam ler. Desse modo, a escolha dos gêneros a serem trabalhados nas atividades de leitura deve levar em consideração essas questões para que o docente possa trabalhar de forma a desenvolver a leitura numa perspectiva crítica.Também, considerando os pressupostos que norteiam essa pesquisa e que sustentam a sequência didática elaborada, entendemos que esta se configura como uma possibilidade de trabalho com a leitura, buscando alcançar a formação de um indivíduo crítico e reflexivo, capaz de atribuir sentidos ao texto, ultrapassando os limites do que se apresenta na superfície textual do gênero tirinha e, consequentemente, de outros gêneros verbo-visuais. Assim, acreditamos na relevância desse trabalho para o ensino de língua portuguesa, uma vez que propicia aos alunos o contato com a leitura através de um gênero que aborda reflexões e críticas de cunho real e social, fazendo com que eles teçam análises além do que está explícito no texto, colaborando, dessa forma, para a formação de um leitor crítico.



MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2916579 - LUCELIO DANTAS DE AQUINO
Interno - 1451653 - ALEXANDRO TEIXEIRA GOMES
Externa à Instituição - JACIARA LIMEIRA DE AQUINO - UERN
Notícia cadastrada em: 16/11/2021 11:49
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa20-producao.info.ufrn.br.sigaa20-producao