PPGMUS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MÚSICA ESCOLA DE MÚSICA Telefone/Ramal: (84) 99474-6734 https://posgraduacao.ufrn.br/ppgmus

Banca de DEFESA: ANTONIO VINICIUS GOMES DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ANTONIO VINICIUS GOMES DA SILVA
DATA : 26/01/2017
HORA: 08:00
LOCAL: Sala 22 Escola de Musica
TÍTULO:

Bagatelas d’Alma: Compositor e Intérprete, Co-partícipes no Processo Criativo


PALAVRAS-CHAVES:

contrabaixo; viola; relação intérprete-compositor, sub-harmônicos, música de câmara.


PÁGINAS: 69
RESUMO:

A partir de um recém-criado duo (viola e contrabaixo) surgiu um insight de trazer este diálogo musical para o ambiente acadêmico. Este trabalho aborda basicamente a interação entre o compositor Samuel Cavalcanti e os intéerpretes Vinícius Gomes no contrabaixo e Prof. Paulo França (violista convidado), e tem por finalidade a discussão sobre fatores íntimos e relacionais da criação musical em colaboração direta com os intérpretes na elaboração de ideias musicais. A obra Bagatelas d’Alma, para contrabaixo (acústico e elétrico) e viola, foi concebida em especial para este trabalho. É uma peça idealizada em nove movimentos, muitos dos quais inspirados em ditos relacionados à palavra alma. Também está pensada para incluir intervenções eletrônicas tais como: gravações intra-uterinas e pós-parto; além de bricolagens eletrônicas com canções publicitárias de campanhas (jingles) e vozes superpostas, seja de personalidades conhecidas seja dos próprios intérpretes no ato da performance. Outro aspecto eletrônico adicional é o uso de efeitos de amplificação e intervenções em tempo real como o uso de microfones, pedal e baixo elétrico. A concepção – o processo criativo em si e suas peculiaridades –,  -portanto, mais do que propriamente a execução, é o objeto central do presente trabalho: a relação de afeto do conhecimento interpretativo, das curiosidades do executante, suas indagações; e as provocações do compositor, seus questionamentos e a discussão que fez brotar uma obra ainda in forme (work in progress). Para tanto, foram utilizadas na metodologia aspectos composicionais e interpretativos, pesquisa bibliográfica, registro de conversas e gravações de áudio, bem como referenciais teóricos como BARTOLOZZI (1982), BORÉM (1998), DOMENICI (2005), RAY (2010) dentre outros. O resultado final da pesquisa é compilar num único documento informações que ofereçam subsídios auxiliadores a compositores e intérpretes para o pensar e o fazer musical colaborativo.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 277370 - ANDRE LUIZ MUNIZ OLIVEIRA
Presidente - 1149504 - RUCKER BEZERRA DE QUEIROZ
Externo à Instituição - ULISSES CARVALHO DA SILVA - UFPB
Notícia cadastrada em: 16/01/2017 11:42
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa20-producao.info.ufrn.br.sigaa20-producao