PPGMUS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MÚSICA ESCOLA DE MÚSICA Telefone/Ramal: (84) 99474-6734 https://posgraduacao.ufrn.br/ppgmus

Banca de DEFESA: ISAC RUFINO DE ARAÚJO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ISAC RUFINO DE ARAÚJO
DATA: 19/02/2015
HORA: 14:00
LOCAL: Sala 22 Escola de Música da UFRN
TÍTULO:

A Motivação de Licenciandos em Música sob a perspectiva da Autodeterminação


PALAVRAS-CHAVES:

Motivação. Teoria da Autodeterminação. Escala de Motivação Acadêmica. Licenciandos em música.


PÁGINAS: 136
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Artes
SUBÁREA: Música
RESUMO:

Essa pesquisa teve como objetivo geral verificar a qualidade motivacional dos licenciandos em música em quatro Universidades públicas do Nordeste sob a perspectiva da Teoria da Autodeterminação (TAD). Proposta por Edward Deci e Richard Ryan (1985, 2000, 2008a, 2008b), a TAD abrange os aspectos qualitativos da motivação e afirma que todos os indivíduos tem uma propensão natural à autorregulação, por isso ela adota o conceito de
internalização por meio de um continuum de Autodeterminação previsto na miniteoria da integração organísmica. Essa pesquisa apresenta uma abordagem quantitativa, descritiva de natureza exploratória e correlacional. Como técnica de coleta de dados, foi aplicado um questionário de autorrelato contendo a Escala de Motivação Acadêmica (EMA), traduzida e validada por Guimarães e Bzuneck (2008), a qual permite verificar os tipos de motivação conforme o continuum de Autodeterminação. Nesta aplicação o instrumento apresentou
evidências de validade satisfatórias, com boa consistência interna e correlações de fracas a moderadas. Os dados obtidos da amostra de 380 licenciandos em música foram analisados através da estatística descritiva e inferencial, por meio de alguns procedimentos: frequências, médias, desvio padrão, análise fatorial, análise deconsistência interna por meio do alpha de Cronbach, análise de correlação de Pearson e análise de variância. Os dados apontam as maiores médias na avaliação das formas de motivação mais autodeterminadas e as médias mais baixas na avaliação da desmotivação e das formas menos autônomas de motivação. Grande parte dos alunos revelou forte intenção de concluir o curso. Apresentaram menor motivação autônoma e maior desmotivação os alunos com intenção de atuar em outras áreas, que já passaram pelo estágio e que estão no curso porque não tiveram outra opção. Concluímos que o licenciando em música, representado nesta amostra, apresenta boa qualidade motivacional, no entanto, com o passar dotempo há uma tendência em diminuir a
motivação autônoma mediante as pressões inerentes aum curso superior. Neste sentido, os cursos devem criar estratégias para manter o comportamento autodeterminado nos alunos e promover os reforçadores intrínsecos fazendo-os perceber importância, valor e significado no curso. Esta pesquisa espera contribuir e estimular outros estudos com o objetivo de compreender a motivação dos alunos no ensino superior em música.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 784.460.746-72 - LUIS RICARDO SILVA QUEIROZ - UFPB
Externo à Instituição - SUELI EDI RUFNI - PUCPR
Presidente - 1149577 - VALERIA LAZARO DE CARVALHO
Notícia cadastrada em: 09/02/2015 17:12
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa14-producao.info.ufrn.br.sigaa14-producao