Banca de QUALIFICAÇÃO: IGOR CESAR BEZERRA DA SILVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : IGOR CESAR BEZERRA DA SILVA
DATA : 31/01/2020
HORA: 10:00
LOCAL: Sala do PPGPA
TÍTULO:

INCLUSÃO DO EXTRATO PIROLENHOSO EM DIETAS PARA SUÍNOS EM CRESCIMENTO E TERMINAÇÃO


PALAVRAS-CHAVES:

antibióticos, desempenho, promotores de crescimento, vinagre de madeira


PÁGINAS: 32
RESUMO:

Esse estudo teve como objetivo avaliar os efeitos de diferentes níveis de inclusão do extrato pirolenhoso (EP), sobre o desempenho, características de carcaça, qualidade da carne e índice de diarreia na dieta de suínos nas fases de crescimento e terminação. Foram utilizadas 24 fêmeas mestiças, com peso médio inicial de 31,2 kg. Os animais receberam comida e água ad libitum. A ração foi composta de milho, farelo de soja, óleo vegetal e núcleo comercial e os tratamentos foram constituídos por níveis crescentes de inclusão do extrato pirolenhoso nas dietas (0; 0,5; 1,0 e 1,5 %). Ao final do período experimental, foram avaliados os parâmetros de desempenho (Ganho de peso diário, consumo de ração diário e conversão alimentar); parâmetros quantitativos e qualitativos de carcaça (Comprimento da carcaça, espessura de toucinho, peso de carcaça quente, peso de carcaça resfriada, peso do pernil, rendimento de carcaça, perda de peso no resfriamento, profundidade de lombo, área de olho do lombo, área de gordura e relação carne: gordura, pH, temperatura, marmoreio e cor do músculo). Os resultados demonstraram que não houve diferença significativa na fase de crescimento entre os tratamentos, porém, os animais que receberam 1,5% de EP na fase de terminação tiveram maior consumo de ração e maior ganho de peso diário. Não houve diferença entre os parâmetros quantitativos e qualitativos de carcaça, com exceção do pH aferido com 45 minutos pós abate, que foi maior nos animais que receberam 1,5% de EP na dieta, no entanto, esses valores se estabilizaram e não demonstraram diferença quando aferidos com 24 horas pós abate. A avaliação do índice de diarreia mostrou que o EP não alterou as fezes dos animais. É recomendado o uso de 1,5% do EP na dieta de suínos na fase de terminação.


MEMBROS DA BANCA:
Interna - 009.675.424-99 - ANDREZA LOURENÇO MARINHO - UFRPE
Interno - 2793246 - JOSE APARECIDO MOREIRA
Externa ao Programa - 1408673 - CLÁUDIA DA COSTA LOPES
Notícia cadastrada em: 20/01/2020 13:37
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa16-producao.info.ufrn.br.sigaa16-producao