Banca de QUALIFICAÇÃO: JÉSSICA GOMES RODRIGUES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JÉSSICA GOMES RODRIGUES
DATA : 21/11/2019
HORA: 08:00
LOCAL: SALA B - Pós-graduação Ciência Animal - FAMEZ/UFMS - Campo Grande/MS
TÍTULO:

CONCENTRAÇÃO DE PROTODIOSCINA, DIGESTIBILIDADE IN VITRO E CINÉTICA DA FERMENTAÇÃO DE GÁS IN VITRO DE FORRAGEIRAS TROPICAIS


PALAVRAS-CHAVES:

valor nutritivo, componentes morfológicos, saponina, deficit hídrico, gramíneas tropicais


PÁGINAS: 45
RESUMO:

O objetivo deste estudo foi avaliar o teor de protodioscina, composição química, digestibilidade in vitro e a cinética da fermentação de gás in vitro de cultivares de Brachiaria spp. Os tratamentos constituíram em cinco cultivares de Brachiaria: Basilisk, Marandu, Paiaguás, Piatã e Xaraés em quanto cortes ao longo de um ano (abril de 2016 a abril de 2017). Foram avaliadas a matéria seca (MS), matéria orgânica (MO), proteína bruta (PB), fibra em detergente neutro (FDN), fibra em detergente ácido (FDA) da lâmina foliar e do colmo, digestibilidade in vitro da matéria seca (DIVMS), matéria orgânica (DIVMO), proteína bruta (DIVPB), fibra em detergente neutro (DIVFDN), fibra em detergente ácido (DIVFDA) e a cinética da fermentação de gás in vitro e concentração de protodioscina. As cultivares apresentaram resultados semelhantes para MS, com os menores valores observados nas amostras do último corte, independente do componente. Houve interação corte x cultivar para todas as variáveis de digestibilidade. A cultivar Basilisk apresentou os maiores teores de PB, seguido pelas cultivares Marandu e Paiaguás. Os maiores percentuais de FDN e FDA foram encontrados no corte quatro para todas as cultivares avaliadas. A cultivar Basilisk apresentou as maiores digestibilidades, seguido das cultivar Paiaguás e Piatã. As cultivares avaliadas foram influenciadas pelas condições edafoclimáticas e idade que foram impostas durante os intervalos de cortes, houve aumento no teor de PB nos períodos onde ocorreram as menores precipitações e aumento no teor de fibra nos de maior precipitação. As concentrações de protodioscina foram influenciadas pelas idades de corte para todas as cultivares, sendo maior dos cortes 1 e 3 (112 e 111 dias após a rebrota, respectivamente) e menor nos cortes 2 e 4 (84 e 58 dias após a rebrota, respectivamente). As cultivares apresentam boa adaptação as condições experimentais, sobretudo por manter os teores de proteína e digestibilidade altos mesmo em períodos com menor precipitação.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 986835 - GELSON DOS SANTOS DIFANTE
Externo à Instituição - ALEXANDRE MENEZES DIAS - UFMS
Externo à Instituição - LUÍS CARLOS VINHAS ÍTAVO - UFMS
Notícia cadastrada em: 06/11/2019 16:55
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa27-producao.info.ufrn.br.sigaa27-producao