Banca de QUALIFICAÇÃO: ÂNGELA GONÇALVES COSTA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ÂNGELA GONÇALVES COSTA
DATA : 13/05/2021
HORA: 14:00
LOCAL: Online - link: meet.google.com/jnq-cdyn-xry
TÍTULO:

RESIDÊNCIA MÉDICA: FATORES EMOCIONAIS E SÍNDROME DE BURNOUT


PALAVRAS-CHAVES:

Saúde Mental; Residência Médica; Síndrome de Burnout; Coronavírus.


PÁGINAS: 69
RESUMO:

A residência médica é uma modalidade de pós-graduação, que visa oferecer ao residente um treinamento em serviço, com alto grau de exigência e elevada carga horária. Esse contexto pode comprometer o bem-estar do residente, provocando sofrimento psíquico e até adoecimento mental. Acrescido a isso, a pandemia da Covid-19, que vem exigindo ainda mais de residentes e preceptores, com aumento da carga horária de trabalho, com equipes desfalcadas, além do receio de se infectar e transmitir para familiares. Diante disso, esse trabalho se propôs a estimar a prevalência do estresse, depressão e síndrome de Burnoutentre residentes e preceptores do serviço de Clínica Médica do Hospital Universitário Onofre Lopes. Realizou-se um estudo quantitativo epidemiológico, do tipo transversal. Participaram do estudo, médicosresidentesdoprimeiro esegundoanos inscritos no programa de Clínica Médica do Hospital Universitário Onofre Lopes e preceptores deste serviço. Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da UFRN (Parecer nº 3.558.898) e todos os voluntários assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE), após serem informados sobre os objetivos da pesquisa. Para coleta de dados, foram utilizados os seguintes instrumentos: Ficha de identificação, Inventário de Sintomas de Stress de Lipp (ISSL), Inventário de Depressão de Beck e o Maslach Burnout Inventory - Human ServicesSurvey. Em relação aos participantes, 13 (25%), eram residentes do 1º ano de Clínica Médica, 15 (28,8%) do 2º ano e 24 (46,2%) preceptores do programa de Clínica Médica totalizando 52 médicos. De acordo com o ISSL, 29 participantes (55,7%), tinham estresse, com predominância nos residentes do 2º ano, 41,4% do total. A maioria dos médicos com estresse estavam na fase de resistência (53,8%), com predominância de sintomas psicológicos (36,5%). Os sintomas de depressão estavam presentes em 13,5% dos participantes sendo mais prevalentes também nos residentes do 2ºano (57,1%).Do grupo pesquisado, 3 (5,8%) apresentaram a Síndrome de Burnout e todos eram médicos residentes do 2º ano.  Assim, faz-se necessário refletir sobre saúde mental no contexto das residências médicas, de modo a contribuir para o desenvolvimento de estratégias positivas de enfrentamento do estresse, favorecendo o autocuidado e a prevenção de sintomatologias psicológicas.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - EMERSON ARCOVERDE NUNES - EBSERH
Interno - 2171948 - PAULO JOSE DE MEDEIROS
Presidente - 2644228 - SIMONE DA NOBREGA TOMAZ MOREIRA
Notícia cadastrada em: 03/05/2021 18:09
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa06-producao.info.ufrn.br.sigaa06-producao