Banca de QUALIFICAÇÃO: ELAYNE DE SILVA FIGUEREDO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ELAYNE DE SILVA FIGUEREDO
DATA : 08/12/2022
HORA: 09:00
LOCAL: UFRN
TÍTULO:

Estrangeirização de terras no Matopiba: os atores invisíveis do território


PALAVRAS-CHAVES:

Território. Financeirização da Agricultura. Estrangeirização de Terras, Fronteiras Agrícolas, Desterritorialização.


PÁGINAS: 65
RESUMO:

O remodelamento dos eixos estruturais nas dinâmicas espacial, social e comercial no Matopiba ocasionados por ações antrópicas advindas da expansão agrícola, que essa por sua vez é financiada por políticas desenvolvimentistas das esferas federais e estaduais e pela adentrada de capital internacional junto a apropriação da terra e da natureza, vem ocasionando transformações espaciais nessa região que é considerada a principal região com potencial agrícola do Brasil. Para compreensão das relações territoriais envolvidas no processo de fronteiras agrícolas e da estrangeirização da terra, nesta pesqueisa foi utilizada uma metodologia baseada em um enfoque sistêmico, o qual Miguel, Mazoyer e Roudart (2009) descrevem que vem sendo utilizado nas últimas décadas para análise de sistemas complexos, a exemplo, o meio rural e os sistemas agrários. Frente a esse contexto e a complexidade envolvida neste assunto o objetivo desta tese é analisar o processo de estrangeirização de terras e de financeirização da agricultura no Matopiba. Os objetivos específicos buscam: I) identificar os atores sociais envolvidos no processo agrário do Matopiba; II)analisar os impactos dos processos de financeirização e estrangeirização de terras sobre o mercado de terras; III) estabelecer um entendimento em torno da disputa pela governança global de terras envolvidas no processo de estrangeirização da terra. Para fins de análise , o referencial teórico se sustenta nas discussões sobre território (FERNANDES, 2009; FERNANDES, 2013; CECEÑA, 2008) processos de expansão de capital no campo (SILVA, 2016; ELIAS, 2002; ALBANO, 2005), estrangeirização de terras (LEITE; LIMA, 2017; PEREIRA, 2017; FAIRBAIRN, 2015), fronteiras agrícolas (SANTOS; SANO, 2015;MARTINS, 1996; FERNANDES; FREDERICO; PEREIRA, 2019; MARTINS, 2003). Além desses textos trazemos também pesquisas que tiveram como foco o Matopiba. A metodologia utilizada é quanti-qualitativa. Utiliza-se informações levantados de dados estatísticos dos estabelecimentos agropecuários na base de dados do SIDRA-IBGE, da territorialização do solo na base de dados do Mapbiomas e da estrangeirização da terra nos relatórios da Rede DATALUTA, Comissão Pastoral da Terra, Banco Mundial, International Land Coalition. Os dados que compõem a relação de empre sas de capital transnacional envolvidos no processo de exploração do solo, se referem ao arrendamento, compra e/ou direito de uso do solo por estrangeiros, foram levantados pela Rede DATALUTA.Os primeiros  resultados apontam que o entre os estados que compõem o Matopiba, para os anos de 2013 a 2020, a Bahia foi o território com maior recorrência de empresas transancionais, com usos diversificados e consolidados da terra, como por exemplo (café, algodão e grãos em rotação). Quanto ao uso do solo, chama-se atençaõ para as energias alternativas (energia solar e eólica) concentrados no Piauí e Bahia, com investimentos com origem da Alemanha, Espanha, Reino Unido e Noruega. O uso do solo em Tocantins apresenta comportamento diversificado com produção de graõs em rotação e comercialização de frutas e monocultivos de árvores (entendida nesta pesquisa como eucalipto, pínus e outra espécie exótica). A transformação da terra em um processo de uso do solo é a principal geradora de valor econômico, e por isso é considerado insterdisciplinar plural e complexo. E assim, o mercado de terras no Matopiba é potencializador da globalização aplicada nos territórios do Matopiba.


 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1715135 - JOANA TEREZA VAZ DE MOURA
Interno - 3214278 - LEANDRO VIEIRA CAVALCANTE
Externa à Instituição - LORENA IZÁ PEREIRA - UNESP
Notícia cadastrada em: 11/11/2022 13:08
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao