Banca de DEFESA: DANIEL COSTA MARTINS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : DANIEL COSTA MARTINS
DATA : 31/08/2022
HORA: 09:00
LOCAL: Plataforma GoogleMeet
TÍTULO:

O OFÍCIO DE SAPATEIRO E SUA RESISTÊNCIA FRENTE ÀS METAMORFOSES DO MUNDO DO TRABALHO

 


PALAVRAS-CHAVES:

Ofício de sapateiro; Produção calçadista; Mundo do trabalho.


PÁGINAS: 105
RESUMO:

O presente trabalho tem como objeto de estudo o ofício de sapateiro, atividade que vem perdendo espaço para a indústria calçadista, além de ser diretamente impactada pelas recentes transformações tecnológicas. Nessa perspectiva, a pesquisa se direciona para os remanescentes do ofício de sapateiros com o intuito de traçar as trajetórias desses profissionais que permanecem nessa atividade, bem como identificar os elementos que mantêm as oficinas resistentes às transformações do mundo do trabalho. Assim, a curiosidade do pesquisador caminha no sentido de responder a seguinte questão: como o ofício de sapateiro, considerado uma atividade artesanal, resiste frente às metamorfoses processadas no âmbito do trabalho na transição do século XX para o XXI? Sustenta-se como hipótese que os sapateiros resistem às mudanças laborais pelo fato do ofício se garantir por tradições locais, contemplando as demandas de uma clientela específica que busca pelos serviços, assim como a sustentabilidade do comércio familiar e a transmissão do conhecimento de geração em geração. Além disso, destaca-se a questão econômica, seja através da relação custo-benefício que traz vantagens para aqueles que optam pelo conserto de calçados em vez de comprar um novo, ou pela garantia da atividade enquanto subsistência diante da dificuldade de acesso a outros trabalhos. Como objetivo geral, o estudo propõe analisar o ofício de sapateiro e a sua permanência enquanto atividade artesanal no contexto das metamorfoses do mundo do trabalho e da crise sanitária na transição do século XX para o XXI, nas cidades de Parnamirim e Macaíba, que fazem parte da Região Metropolitana da cidade do Natal/RN. Para o desenvolvimento da pesquisa, o recurso metodológico utilizado como meio de obter dados primários foi o da história de vida, o que possibilitou uma maior autonomia ao entrevistado acerca do relato de sua própria experiência. Foi elaborado um roteiro de entrevista que norteou a coleta de informações com os sujeitos colaboradores da investigação, que foram cinco sapateiros que possuem suas oficinas nos centros urbanos de Parnamirim-RN e Macaíba-RN, cidades que representam o recorte empírico da investigação. Além dos dados primários, fontes secundárias embasaram a pesquisa. No caso, um referencial teórico acerca da temática em evidência, assim como artigos e pesquisas. Logo, a pesquisa concluiu que o ofício de sapateiro permanece enquanto segmento de serviços, apesar de seu declínio nas últimas décadas. Pois, apesar dos problemas relativos a esse trabalho, ainda existem caminhos para garantir um meio de subsistência onde diversas estratégias são utilizadas pelos profissionais para alcançar clientes, de modo que a atividade subsiste por variadas vias, ocupando espaços abertos deixados pela indústria calçadista, indicando que ao menos a curto prazo não há uma tendência ao desaparecimento da atividade.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2507656 - ANA PATRICIA DIAS SALES
Interno - 1014897 - CLAUDIO ROBERTO DE JESUS
Externo à Instituição - FRANCISCO JOSE LIMA SALES - UFERSA
Externo à Instituição - HIAGO TRINDADE DE LIRA SILVA - UFCG
Notícia cadastrada em: 20/07/2022 09:39
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao