Banca de DEFESA: CAROLINE SOUZA DOS SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : CAROLINE SOUZA DOS SANTOS
DATA : 28/05/2018
HORA: 09:00
LOCAL: a definir
TÍTULO:

PERCEPÇÃO EM MOVIMENTO: ANÁLISE DAS TRANSFORMAÇÕES EM GALINHOS/RN À LUZ DA IMPLEMENTAÇÃO DOS PARQUES EÓLICOS


PALAVRAS-CHAVES:

Energia eólica. Crise ambiental. Setor energético. Percepção ambiental. Galinhos/RN.


PÁGINAS: 150
RESUMO:

Diante da crescente demanda energética e das situações de crise ambiental vem sendo formuladas alternativas que visam a produção de uma energia limpa. Desse contexto, surge a energia eólica como uma das alternativas de maior potencial para o Brasil e para o Rio Grande do Norte. No entanto, apesar dos argumentos favoráveis à instalação, não impede que conflitos sejam travados no território. No Rio Grande do Norte, uma das maiores expressões dessa dinâmica conflituosa foi o município de Galinhos na implementação do primeiro parque eólico, levando a sociedade civil a organizar o movimento ‘Abraço nas Dunas’, onde se questionava as alocações das torres no complexo de dunas em uma Área de Preservação Permanente. Estiveram imbricados aí o apelo à paisagem natural e a manutenção das atividades turísticas e pesqueiras. O caso de Galinhos, conjuntamente com as referências bibliográficas preconizadas, nos lançou a compreensão de que as justificativas ambientais para a expansão desta energia não devem se encerrar na questão renovável ou na baixa emissão de gás carbônico, mas devem também estabelecer-se no território, desde o momento de sua inserção. Dessa forma, com a finalidade de entender quais as dinâmicas que circunscrevem as eólicas, lançamos a pergunta: como a população vivencia estes empreendimentos eólicos? Surgindo assim, a percepção e a percepção ambiental como categorias basilares para esta investigação. O objetivo desta pesquisa foi a investigação da percepção de moradores de Galinhos sobre os empreendimentos eólicos e a identificação das associações feitas entre energia eólica e meio ambiente na perspectiva da percepção ambiental, a partir de um desenho metodológico qualitativo em que se utilizou entrevistas estruturadas, diário de campo e fotografias como instrumentos para a composição das narrativas. Os resultados nos apontam, para uma aceitação da energia, embora se façam considerações negativas sobre a não utilização desta fonte energética no próprio território e das transformações nas dunas. Ainda cabe destacar que as associações entre energia eólica e meio ambiente são, em sua maioria, negativas ou condicionadas, mesmo os entrevistados apresentando uma percepção ambiental de certo modo integradora, o que nos faz concluir que as justificativas ambientais preconizadas anteriormente não são assimiladas em detrimento de outras que surgem à luz de sua implementação.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANTONIO JEOVAH DE ANDRADE MEIRELES - UFC
Presidente - 1958900 - FABIO FONSECA FIGUEIREDO
Interno - 000.000.000-00 - JOSE GOMES FERREIRA - ULISBOA
Notícia cadastrada em: 09/05/2018 10:59
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa18-producao.info.ufrn.br.sigaa18-producao