Projeto Pedagógico do Curso

Devido a demanda das organizações públicas se faz necessário um profissional autodidata, detentor de amplo portifólio de conhecimento, consciente da contínua necessidade de aprofundamernto do conhecimento da administração pública fazendo interface com outras áreas de conhecimento.

     O egresso do curso de Administração Pública deverá desenvolver as seguintes competências:

i. atuar e desenvolver atividades específicas da gestão nas organizações públicas e participar da elaboração, do planejamento, da coordenação e do controle de políticas públicas;
ii. compreender de forma sistêmica o meio social, político, econômico e cultural onde está inserido e assim tomar decisões em um contexto diversificado e interdependente da área pública, promovendo o estreitamento das relações entre Governo e Sociedade Civil;
iii. empreender e promover transformações de forma interdisciplinar, compreendendo a necessidade do contínuo aperfeiçoamento profissional e do desenvolvimento da autoconfiança, participando da modernização e inovação das estruturas e funcionamento do Serviço Público;
iv. expressar-se e comunicar-se com clareza e assertividade;
v. promover com determinação e vontade política e administrativa a educação continuada de servidores públicos;
vi. liderar processos de mudança das desigualdades e de exclusão econômica e social;
vii. adequar os recursos financeiros, físicos e tecnológicos visando o bem- estar coletivo e promover processos democráticos participativos no âmbito estatal que possibilite a iniciativa e o desenvolvimento pleno das pessoas;
viii. reconhecer e definir problemas, equacionar soluções, pensar estrategicamente, introduzir modificações nos processos organizacionais, atuar preventivamente, transferir e generalizar conhecimentos e exercer, em diferentes graus de complexidade, o processo da tomada de decisão;

ix. refletir e atuar criticamente sobre a esfera da produção de serviços públicos, compreendendo sua posição e função na estrutura produtiva sob seu controle e gerenciamento;
x. desenvolver raciocínio lógico, crítico e analítico para operar com valores e formulações matemáticas presentes nas relações formais e causais entre fenômenos produtivos, administrativos e de controle em diferentes contextos organizacionais e sociais;
xi. elaborar, implementar e consolidar projetos, realizar consultoria e auditoria, elaborar pareceres e perícias administrativas em organizações públicas.

DIRETRIZES METODOLÓGICAS PARA A FORMAÇÃO DO CURSO
A proposta metodológica adotada neste curso considera as seguintes diretrizes:
i. Nortear a concepção, a criação e a produção dos conhecimentos a serem trabalhados no curso, de forma que contemplem e integrem os tipos de saberes, hoje reconhecidos como essenciais às sociedades do Século XXI:
os fundamentos teóricos e os princípios básicos dos campos de conhecimento; as técnicas, as práticas e os fazeres deles decorrentes; o desenvolvimento das aptidões sociais ligadas ao convívio ético e
responsável;
ii. Promover permanente instrumentalização dos recursos humanos envolvidos no domínio dos códigos de informação e comunicação, bem como suas respectivas tecnologias, além de estimular o desenvolvimento do
pensamento autônomo, da curiosidade e da criatividade;
iii. Selecionar temas e conteúdos que reflitam, prioritariamente, os contextos das realidades vividas pelos estudantes, nos diferentes espaços de trabalho e também nas esferas local e regional;
iv. Adotar um enfoque pluralista no tratamento dos temas e conteúdos, recusando posicionamentos unilaterais, normativos ou doutrinários;
v. Nortear as atividades avaliativas da aprendizagem, segundo uma concepção que resgate e revalorize a avaliação enquanto informação e tomada de consciência de problemas e dificuldades, com o fim de resolvê-los.
vi. Em síntese, as diretrizes do curso devem oportunizar formação que privilegie competências profissionais, sociais e políticas, baseadas nos aspectos:
. técnico-científico, condizente com as exigências que a gestão pública contemporânea impõe;
. ético-humanístico e político-social, que a formação do cidadão e do gestor público requer.

Princípios norteadores do Curso

           O Curso de Administração Pública à Distância nortear-se-á pelos seguintes princípios:
Interdisciplinaridade
      A interdisciplinaridade no processo de produção e disseminação do conhecimento terá lugar na ação unificadora dos coordenadores de pólos regionais, que prestarão assistência individual aos alunos de forma ampla em todas as disciplinas. O coordenador de pólo, não dispondo de conhecimentos especializados em todas as disciplinas de cada módulo, receberá treinamento para orientação global e promoção da interdisciplinaridade. Além dessa ação permanente, em cada módulo será realizado, de forma presencial, o Seminário Temático, cuja proposta é dar ênfase a uma disciplina ou área, promovendo sua integração com as demais disciplinas ou áreas do módulo.
Flexibilização
Aos alunos transferidos ou que tenham cursado disciplinas iguais ou similares às constantes da estrutura curricular do curso, será facultado o aproveitamento de créditos/carga horária, mediante regulamentação especifica da
SEDIS/UFRN.
Articulação teoria-prática
       A articulação entre a teoria e a prática administrativas dar-se-á de forma permanente e metodológica, enquanto os alunos cursam disciplinas, através da adoção de estudos de caso, solução de problemas, elaboração de projetos, visitas, entrevistas, intervenções em seu local de trabalho, e outras técnicas adotadas no
ensino de administração, buscando, na medida do possível, seguir a seqüência prática-teoria-prática, numa relação mais efetiva. A articulação também se verificará por ocasião dos Estágios e do Trabalho de Conclusão de Curso,
oportunidade em que o aluno sintetizará os conhecimentos teóricos e as experiências práticas, atuando de forma investigativa em uma ou mais organizações.
Indissociabilidade ensino-pesquisa-extensão
          A articulação do ensino de graduação, de pós-graduação da pesquisa e da extensão dá-se através de ações de inclusão da pesquisa em disciplinas, ações de caráter didático-pedagógicas através dos estágios de docência dos alunos de  pós-graduação na graduação, atividades dos grupos de pesquisa e projetos de extensão, que permitem a ampliação do acesso ao saber e o desenvolvimento tecnológico e social do país. Essa articulação dar-se-á da seguinte forma:

• Pesquisa em disciplinas, que será incentivada no período de treinamento das equipes do curso à distância, especialmente dos professores;
• Os alunos do Curso de Administração à Distância poderão candidatar-se a bolsas de Iniciação Científica junto às Bases de Pesquisa do Programa de Pósgraduação em Administração da UFRN – PPGA, que conta com cursos de
especialização, mestrado e doutorado;
• Os alunos poderão também participar de pesquisas dessas bases através de Iniciação Científica Voluntária.
• As atividades de pesquisa deverão ser apresentadas e avaliadas na Feira de Iniciação Científica realizado anualmente na UFRN. Também há possibilidade de participação nos eventos organizados pela pós-graduação.
          As atividades de iniciação científica - pesquisas bibliográficas, coleta de dados, entrevistas, organização dos dados, etc. serão incentivadas nos pólos como forma de contribuir para o desenvolvimento científico e tecnológico de áreas mais distantes e carentes do Estado.
        As atividades de extensão envolvendo alunos de graduação serão através de projetos para organizações públicas, privadas e do terceiro setor, especialmente da organização parceira Banco do Brasil, cujas atividades oferecem programas de apoio à comunidade. Dar-se-á de acordo com as características de cada pólo e região. Os alunos poderão receber bolsas de estudo nessas atividades.

      O acompanhamento e avaliação do curso se dará mediante análise do PPC em reuniões periódicas realizadas pelo NDE  e Colegiados, extensivo a participação dos demais docentes e discentes do curso.

Baixar Arquivo
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa25-producao.info.ufrn.br.sigaa25-producao