Banca de QUALIFICAÇÃO: PEDRO BRAGA LINHARES GARCIA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : PEDRO BRAGA LINHARES GARCIA
DATA : 19/10/2021
HORA: 10:00
LOCAL: Sala Virtual (google meet)
TÍTULO:

AVALIAÇÃO DA IMPLEMENTAÇÃO DO PROTOCOLO DE CIRURGIA SEGURA NA LINHA DE CUIDADO DO PACIENTE COM FRATURA DE FÊMUR ANTES E APÓS O CICLO DE MELHORIA DA QUALIDADE


PALAVRAS-CHAVES:

Palavras-chaves: Linha de Cuidado; Fratura de fêmur; Cirurgia Segura; Melhoria da Qualidade.


PÁGINAS: 22
RESUMO:

Introdução/Justificativa: Em 2007-2008, os países membros da Organização Mundial de Saúde estabeleceram o desafio global intitulado de “Cirurgias Seguras Salvam Vidas'' e, em 2018, o Ministério da Saúde aprovou as Diretrizes Brasileiras para o Tratamento de Fratura do Colo do Fêmur em Idosos. Sabe-se que o investimento em treinamento e capacitação da equipe cirúrgica é capaz de melhorar os indicadores de segurança e ampliar a segurança dos procedimentos. Objetivos: O presente estudo teve como objetivo avaliar o nível de qualidade da implementação do protocolo de cirurgia segura de fratura de fêmur, em um hospital de referência, antes e após um ciclo de melhoria. Materiais e Métodos: O estudo foi realizado no Hospital Regional do Sertão Central - HRSC, localizado em Quixeramobim-CE. Trata-se de um estudo observacional para avaliar a implementação do protocolo de cirurgia segura de fratura de fêmur, antes e após um ciclo de melhoria, identificando as falhas processuais e os efeitos da intervenção. A linha do cuidado do paciente com fratura de fêmur foi implementada em 2019 no HRSC e o ciclo de melhoria do protocolo de cirurgia segura desses pacientes foi realizado em 2020. Todos os pacientes admitidos e operados na linha do cuidado do paciente com fratura de fêmur no ano de 2020 do HRSC foram avaliados quanto à conformidade aos protocolos. Foram excluídas as reoperações e aqueles procedimentos sem incisão cirúrgica. Os dados foram coletados através de consulta às planilhas de gerenciamento de segurança, à planilha da linha de cuidado do paciente com fratura de fêmur, à lista de verificação de segurança cirúrgica (“checklist”) e ao prontuário. Através dos prontuários foram coletadas informações sociodemográficas dos pacientes, além dos seguintes parâmetros: taxa de infecção de sítio cirúrgico; taxa de readmissão hospitalar, taxa de reoperação e de mortalidade nos primeiros 90 dias após internação; desfecho cirúrgico, tempo de permanência hospitalar, tempo entre a fratura e admissão hospitalar no HRSC; tempo entre a admissão e a cirurgia; e a conformidade ao protocolo de cirurgia segura e ao protocolo de otimização perioperatória. Resultados: Foi observado que a maioria dos pacientes é do sexo feminino (65,8%), com média de idade igual a 73,5±16,5 anos, não havendo diferença estatística entre os grupos antes e após o ciclo de melhoria. Quanto aos desfechos clínicos, foi observado que, após o ciclo de melhoria, houve uma discreta diminuição no número de ocorrência nos seguintes eventos adversos: infecção do sítio cirúrgico (p = 0,49), readmissão hospitalar (p =0,29), reoperação (p =0,19) e óbito pós-operatório (p =0,52), porém essa diminuição não foi estatisticamente significativa entre os grupos. A principal falha processual identificada foi referente à antibiótico-profilaxia, com representação em torno de 80%, na análise de pareto. A conformidade ao protocolo de cirurgia segura subiu de 28,7% antes do ciclo de melhoria para 48,4% após o ciclo de melhoria, sendo esta diferença estatisticamente significativa (p<0,001).


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1195933 - ANA CAROLINA PATRICIO DE ALBUQUERQUE SOUSA
Interna - 2330137 - VILANI MEDEIROS DE ARAUJO NUNES
Interno - 911.028.804-00 - WILTON RODRIGUES MEDEIROS - UFRN
Interno - 1868020 - ZENEWTON ANDRÉ DA SILVA GAMA
Notícia cadastrada em: 28/09/2021 10:02
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao