Banca de DEFESA: ANDRÉ FELIPE MORAIS DE LIMA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ANDRÉ FELIPE MORAIS DE LIMA
DATA : 01/06/2021
HORA: 15:00
LOCAL: Vídeo conferência
TÍTULO:

ANÁLISES ESTEREOLÓGICAS E HISTOPATOLÓGICAS DO FÍGADO DA PROLE DE CAMUNDONGOS SUBMETIDOS A ETANOL DURANTE OS PERÍODOS PRÉ E PÓS NATAL.


PALAVRAS-CHAVES:

Etanol; Fígado; Gravidez; Lactação; Morfologia.


PÁGINAS: 70
RESUMO:

Os efeitos iniciais do álcool no organismo são bem-estar e prazer, no entanto o uso contínuo causa dependência e efeitos deletérios em órgãos importantes para a vida, principalmente no organismo feminino. Podemos observar na literatura que o álcool consumido por mulheres durante a gravidez e/ou amamentação passa para o organismo da prole, trazendo efeitos negativos para o desenvolvimento fetal e do bebê, sendo um dos principais agentes teratogênicos conhecidos. A exposição excessiva e prolongada ao álcool no organismo de indivíduos adultos afeta a estrutura e função hepática, causando alterações presentes na Doença Hepática Alcoólica (ADL). Tendo em vista a importância do fígado para a funcionamento do organismo é importante observar e descrever se a exposição ao álcool na gravidez e/ou lactação pode provocar danos no fígado da prole, semelhantes a ADL. Assim, o objetivo deste trabalho é através de análises histopatológicas e estereológicas a morfologia do fígado de camundongos gerados sob efeito do etanol durante a gestação e/ou lactação. Para isso, 23 camundongos (Mus muscullus) machos e fêmeas jovens, foram separados em 4 grupos: Grupo Controle (GC): n=6, prole provenientes de mães que não receberam álcool durante a gestação e lactação; Grupo Gestação (GEtG): n=5, prole provenientes de mães que receberam álcool 15% apenas durante a gestação; Grupo lactação (GEtL): n=6, prole proveniente de mães que receberam álcool 15% apenas durante a lactação e Grupo Gestação + lactação  (GEtGL): n=6, prole provenientes de mães que receberam álcool durante todo o período da gestação e lactação. Após o período de 34 a 36 dias de vida, os animais foram pesados e submetidos a eutanasia, o fígado removido e conservado para posterior processamento e analise histológica. O diagnóstico histopatológico foi obtido através da descrição qualitativa dos tecidos e escores semiquantitativos. As análises estereológicas foram realizadas para obter o volume da figura através do método de Cavaliere. Os dados obtidos foram submetidos a analise por ANOVA e post hoc de GABRIEL, com nível de significância de 5% (p<0,05). Houve redução no peso corporal ao desmame dos animais do grupo GEtL e GEtGL quando comparado aos demais grupostambém houve diminuição no peso corporal final e peso do fígado do grupo GEtL quando comparado ao GEtG. Todos os grupos tratados com álcool apresentaram danosteciduais característico da doença hepática alcoólica, como: presença de esteatose micro e macro vesicular, degeneração hidrópica e áreas sugestivas de necrose. De acordo com as análises semiquantitativas, o grupo GetGL apresentou mais danos hepáticos quando comparado com os demais grupos. A exposição do álcool durante a fase de lactação tem efeitos negativos na nutrição da prole comprometendo o peso corporal e do fígado, em função do álcool intervir na produção e composição do leite materno, bem como no seu consumo. As alterações histopatológicas surgem devido ao acúmulo de espécies reativas de oxigênio produzidas durante o metabolismo do álcool afetando a estrutura dos hepatócitos. Assim, a exposição do álcool de forma aguda nas fases de gravidez e/ou lactação mostrou efeitos deletérios para a prole comprometendo o desenvolvimento e a morfofisiológica hepática.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 4507066 - CHRISTINA DA SILVA CAMILLO
Externo à Instituição - FRANCISCO GILBERTO OLIVEIRA - URCA
Externo ao Programa - 2318723 - SERGIO ADRIANE BEZERRA DE MOURA
Notícia cadastrada em: 18/05/2021 14:49
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa17-producao.info.ufrn.br.sigaa17-producao