Banca de QUALIFICAÇÃO: DÉLIS DE OLIVEIRA FERREIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : DÉLIS DE OLIVEIRA FERREIRA
DATA : 20/11/2019
HORA: 14:00
LOCAL: anfiteatro das aves
TÍTULO:

Estudo do potencial toxicológico e teratogênico do extrato aquoso das cascas de Anacardium occidenale, utilizando-se Danio rerio como modelo experimental


PALAVRAS-CHAVES:

Peixe-zebra. Cajueiro. Toxicidade. Gestação. Aborto. Teratogênico. 

 

PÁGINAS: 29
RESUMO:

O Cajueiro (Anacardium occidentale) é um vegetal nativo da região Nordeste do Brasil  comumente utilizado na medicina popular devido às suas propriedades anti-inflamatória, adstringente e cicatrizante. No entanto, é utilizado também para indução clandestina ao aborto, sendo escassas as informações quanto aos efeitos relacionados ao seu uso durante a gestação. Sabendo-se que o uso de extratos vegetais no período gestacional pode ocasionar toxicidade tanto materna quanto fetal, objetivou-se neste estudo avaliar os efeitos tóxicos e teratogênicos do extrato aquoso (EAq) das cascas de (A. occidentale), utilizando-se o peixe zebra como modelo experimental. Os embriões foram expostos ao EAq às 6, 12, 24 e 48 horas pós fertilização (hpf). Fêmeas adultas também foram expostas, para verificação dos efeitos do EAq sobre a fertilidade e comportamento. Os procedimentos experimentais foram previamente autorizados pela CEUA/UFRN, e os testes de toxicidade aguda em embriões de (D. rerio) e fêmeas adultas seguiram as recomendações da OECD. Para a determinação da Dose letal mediana (DL50) nos embriões, foram utilizados como progenitores machos e fêmeas, na proporção 2:3. Após a desova os ovos foram recolhidos e armazenados em placas de Petri para exposição a diferentes concentrações do extrato diluídas previamente em 10 ml de água. Após o período de exposição os ovos foram lavados e armazenados em placas de 24 poços para observação em microscópio estereoscópico pelo período de 24, 48, 72 e 96 h. Deste modo, a DL50 estimada para os estágios de 6, 12, 24 e 48 hpf foi: 311,8 mg/10 ml; 308,8 mg/10 ml; 199,5 mg/10 ml e 91,0 mg/10 ml, respectivamente (p<0,05). Para determinação da DL50 nos animais adultos, 15 indivíduos permaneceram durante 96 h em aquários de 1 L contendo o extrato diluído em diferentes concentrações, tendo sido estimada a DL50 de 5,4 mg/L do EAq das cascas de cajueiro. Durante a exposição de embriões à doses exploratórias para estimativa da DL50, foi possível observar efeitos indicativos de toxicidade, como deformação na membrana coriônica em todos os estágios expostos a doses superiores a 200 mg/10 ml do EAq, e um retardo na taxa de eclosão no estágio de 6 hpf exposto a 50 mg/10 ml do EAq. Foi observado uma maior frequência no retardo da eclosão do que o esperado (X= 6,93; p (Fisher) = 0,009 e gl = 1), de forma que esse efeito depende da exposição ao extrato. Testes estão sendo realizados com fêmeas adultas para observação dos efeitos tóxicos do EAq em dois tratamentos (crônico e agudo), além de testes com embriões expostos a doses terapêuticas para verificação da presença de malformações.


MEMBROS DA BANCA:
Externa ao Programa - 1644341 - ANA CAROLINA LUCHIARI
Presidente - 1718086 - DANIELLE BARBOSA MORAIS
Externa ao Programa - 3291543 - RENATA SWANY SOARES DO NASCIMENTO
Notícia cadastrada em: 09/11/2019 19:28
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa19-producao.info.ufrn.br.sigaa19-producao