Banca de DEFESA: DIEGO FILGUEIRA ALBUQUERQUE

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : DIEGO FILGUEIRA ALBUQUERQUE
DATA : 30/08/2019
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório do PPgBioEF/CB/UFRN
TÍTULO:

Efeito da fotobiomodulação na proliferação e viabilidade de células endoteliais da veia umbilical humana (HUVEC)


PALAVRAS-CHAVES:

Irrradiação a laser de baixa intensidade; células endoteliais; viabilidade celular; proliferação celular.


PÁGINAS: 70
RESUMO:

O objetivo do presente estudo foi avaliar, através de experimentos in vitro, o efeito da fotobiomodulação com laser de baixa intensidade na proliferação e viabilidade de células endoteliais humanas. Células endoteliais da veia do cordão umbilical humano (HUVEC) foram cultivadas e divididas em quatro grupos: C - controle (sem irradiação) e grupos L1, L4 e L7.5 – células irradiadas com doses de 1; 4; e 7,5 J/cm², respectivamente, de laser diodo (InGaAlP; comprimento de onda de 660 nm; potência de 30 Mw, em dose única). A atividade metabólica das células foi avaliada nos intervalos de 24, 48 e 72 horas após a irradiação, através do ensaio do Alamar Blue. A viabilidade e a proliferação celular também foram avaliadas no intervalo de 72h, através dos através dos ensaios de Live/Dead, Annexin V/PI, análise das fases do ciclo celular e imunomarcação da proteína Ki67. Os dados do ensaio do Alamar Blue mostraram que no intervalo de 72h todos os grupos irradiados exibiram percentuais de redução significativamente maiores do que o grupo controle não irradiado (p<0,01), sendo a diferença ainda mais evidente em L4 e L7.5 (p<0,001). A análise da viabilidade celular por Live/Dead demonstrou um grande número de células viáveis em todos os grupos, o que também foi observado através da imunomarcação por Annexina V/PI, que mostrou alta porcentagem de viabilidade celular nos grupos estudados (C: 95,2%; L1: 96,1%; L4: 96,1%; L7.5: 96,9%). A avaliação das fases do ciclo celular mostrou que os grupos irradiados exibiram aumento gradativo do percentual de células nas fases proliferativas do ciclo (S e G2/M), de modo dose-dependente (C: 36,9%; L1: 38,0%; L4: 38,3%; L7.5: 40.4%). A irradiação promoveu um aumento significativo na expressão da proteína nuclear Ki67, com resultado mais acentuado quando comparado o grupo G7.5 com os demais grupos. Em conjunto, os resultados do presente estudo demonstraram que a fotobiomodulação, principalmente na dose de 7,5 J/cm², promoveu aumento da proliferação e viabilidade de células HUVEC, o que pode sugerir o uso potencial do laser nos parâmetros estudados como estimulo à endotelização nas técnicas de engenharia tecidual vascular.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2220417 - CARLOS AUGUSTO GALVAO BARBOZA
Interno - 2859541 - PEDRO PAULO DE ANDRADE SANTOS
Externo à Instituição - RANIERE FAGUNDES DE MELO SILVEIRA
Notícia cadastrada em: 30/08/2019 11:25
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao