Banca de DEFESA: JULIANA SILVA DE MEDEIROS LIMA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JULIANA SILVA DE MEDEIROS LIMA
DATA : 26/08/2019
HORA: 16:00
LOCAL: Auditório do PPGBIOEF
TÍTULO:

Estudo do efeito antitumoral da combinação da metformina com a nanoparticula de Poli(ácido lático-co-glicólico) de metotrexato em células de adenocarcinoma ductal pancreático


PALAVRAS-CHAVES:

apoptose; caspase-3; bcl-2; GSH; MDA; cultivo celular; RT-PCR


PÁGINAS: 51
RESUMO:

O adenocarcinoma ductal pancreático (PDAC) corresponde a 90% dos tumores malignos de pâncreas e um dos principais fatores de risco deste câncer é o diabetes mellitus tipo 2, além de tabagismo e obesidade. A metformina é um antiglicemiante oral bastante utilizado no tratamento do diabetes mellitus. Além dessa propriedade de uso, recentemente a metformina tem sido relatada com atividade antitumoral. O objetivo deste estudo foi realizar a avaliação in vitro do efeito anti-apoptótico mediante a combinação da metformina e a nanopartícula de PLGA associada ao metotrexato, um quimioterápico padrão utilizado no tratamento antineoplásico. Para esse fim, foi realizado testes de viabilidade com Alamar Blue, citometria de fluxo com anexina/PI e imunofluorescência com anticorpos anti-caspase-3, anti-bcl-2 e anti-FADD em células de adenocarcinoma ductal pancreático (PANC-1), e, em células embrionárias de rim humano (HEK-293). Também foi avaliada a internalização das nanopartículas marcadas com FITC por imunofluorescência. A avaliação da resistência à drogas e a via de sobrevivência celular foram feitas através da análise da expressão de mRNA dos genes MDR1, survivina, EGFR, Akt, e mTOR por RT-PCR. Os resultados mostraram que as doses isoladas de metformina e nanopartícula não induzem apoptose significativa, entretanto, o uso combinado induziu até 55.3% da apoptose. A elevada expressão de FADD e caspase-3 foi estatisticamente significativa com p<0,01, assim como a baixa expressão de bcl-2, com p<0,05, no período de 48 horas frente o uso combinado de metformina e PLGA-MTX, mostrando ativação da apoptose tanto pela via extrínseca como intrínseca. Além disso, o aumento de GSH e redução de MDA revelam efeito antioxidante do tratamento em ambas linhagens. As nanopartículas reduziram a expressão de genes de resistência a fármacos MDR1, survivina, EGFR com p<0,0001 em todos os tratamentos combinados e reduziram, também, a expressão de genes da vida de sobrevivência Akt e mTOR com p<0,0001 em todos os tratamentos combinados. O uso da metformina anterior ao uso do PLGA-MTX, aumenta a indução da apoptose de células tumorais, reduz a resistência ao tratamento antitumoral e inibe vias de sobrevivência celular. Nesse contexto, conclui-se que a metformina potencializa a atividade antitumoral da PLGA-MTX, o que sugere ser no futuro um promissor sistema integrado ao serem utilizados em associação dentro de um sistema de nanopartículas. 


MEMBROS DA BANCA:
Externa ao Programa - 2374605 - AURIGENA ANTUNES DE ARAUJO
Externo à Instituição - LEÔNIA MARIA BATISTA
Presidente - 2477216 - NAISANDRA BEZERRA DA SILVA FARIAS
Notícia cadastrada em: 06/08/2019 20:33
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa11-producao.info.ufrn.br.sigaa11-producao