Banca de DEFESA: SORAIA FONSECA MARINHO DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : SORAIA FONSECA MARINHO DA SILVA
DATA : 11/06/2018
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do Programa de Pós-graduação em Biologia estrutural e Funcional
TÍTULO:

Estudo do processo espermatogênico nos morcegos hematófagos Desmodus rotundus e Diphylla ecaudata (Chiroptera: Phyllostomidae).


PALAVRAS-CHAVES:

Morcegos vampiros, Biologia reprodutiva, Morfometria testicular, Espermatogênese, Imunohistoquímica.


PÁGINAS: 67
RESUMO:

Os morcegos hematófagos constituem os únicos mamíferos que se alimentam exclusivamente do sangue de mamíferos ou aves. Devido a esta particularidade e sua relação com a transmissão do vírus da raiva, despertam grande atenção e curiosidades, sendo necessário o desenvolvimento de medidas conservacionistas que permitam o controle racional destas espécies. Para tal, é fundamental que seus ciclos reprodutivos sejam conhecidos. Objetivamos, portanto, descrever a atividade testicular e a espermatogênese das espécies Desmodus rotundus e Diphylla ecaudata. Os animais foram coletados em Lajes-RN. Após procedimentos de eutanásia, seus testículos foram processados histologicamente para inclusão em historesina para análises morfológicas e morfométricas sob microscopia de luz, em resina Spurr para análise da ultraestrutura celular sob microscopia eletrônica de transmissão, bem como em parafina histológica para análise imuno-histoquímica da expressão de receptores para andrógeno, aromatase, FGF2 e BCL-2. D. rotundus apresentou percentual de epitélio seminífero, número de células de Leydig por grama de testículo e população de células de Sertoli e de espermatogônias do tipo A significativamente maiores na estação chuvosa, enquanto o percentual de lúmen, índice mitótico, capacidade de suporte desempenhada pelas células de Sertoli e o rendimento geral da espermatogênese foram maiores na estação seca. D. ecaudata apresentou índice gonadossomático de 0,49%, índice tubulossomático de 0,47% e comprimento de túbulos seminíferos por grama de testículo de 32,20 m. As fases pré-meiótica, meiótica e pós-meiótica representaram, respectivamente, 56,20%, 9,30% e 34,50% do ciclo do epitélio seminífero desta espécie. A ultraestrutura da espermatogênese de ambas as espécies foi semelhante ao descrito nos demais mamíferos, e o perforatorium parece estar ausente em seus espermatozoides. A análise imunohistoquímica revelou atividade da enzima aromatase nas células de Sertoli, células de Leydig, espermatócitos e espermátides, e a presença de receptores de andrógeno nas células de Sertoli e nas células de Leydig. A atividade do FGF2 foi mais evidente nos espermatócitos primários em zigóteno e em paquíteno, bem como em espermatócitos secundários e espermátides. Já a atividade da proteína BCL-2 foi mais evidente nos espermatócitos primários em paquíteno e espermátides arredondadas. Em D. rotundus, enquanto a atividade da aromatase, BCL-2 e dos receptores de andrógeno foram maiores na estação seca, a atividade do FGF2 foi maior na estação chuvosa. Conclui-se que D. rotundus e D. ecaudata apresentaram padrão testicular semelhante ao de outros mamíferos, e características comuns às descritas em outras espécies de morcegos. O estudo sazonal da espermatogênese de D. rotundus sugere uma maior produção de espermatozoides na estação chuvosa na Caatinga nordestina. Este estudo constitui ainda o primeiro passo para o conhecimento da reprodução de D. ecaudata, sendo esta a primeira descrição acerca de sua espermatogênese.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1718086 - DANIELLE BARBOSA MORAIS
Interno - 1356960 - DANILO JOSE AYRES DE MENEZES
Externo à Instituição - MARCELA DOS SANTOS MAGALHAES - UFAM
Notícia cadastrada em: 23/05/2018 14:43
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa23-producao.info.ufrn.br.sigaa23-producao