Banca de QUALIFICAÇÃO: RAVEL CAVALCANTE MARINHO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : RAVEL CAVALCANTE MARINHO
DATA : 18/08/2017
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório do Departamento de Morfologia
TÍTULO:

EFEITO DO LASER DE BAIXA INTENSIDADE ASSOCIADO COM A APLICAÇÃO TÓPICA DE PRÓPOLIS VERDE NA CONTRAÇÃO DE FERIDAS CUTÂNEAS EM RATOS COM DIABETES INDUZIDO POR ESTREPTOZOTOCINA


PALAVRAS-CHAVES:

Diabetes mellitus; reparo tecidual; colágeno; laser; própolis.  


PÁGINAS: 41
RESUMO:

No diabetes mellitus (DM) o acúmulo de produtos finais de glicação avançada promove alterações estruturais e bioquímicas nos tecidos, contribuindo para o surgimento de complicações clínicas, especialmente o retardo no reparo de feridas cutâneas. O laser de baixa intensidade e a própolis representam duas opções terapêuticas que vêm sendo pesquisadas para o tratamento de lesões cutâneas, todavia ainda persistem controvérsias quanto ao melhor protocolo terapêutico individual e não há estudos analisando aos efeitos do seu uso combinado em modelos de DM. O objetivo do projeto é avaliar o efeito da combinação de laserterapia e aplicação tópica de extrato de própolis verde na contração de feridas cutâneas em ratos diabéticos. Ratos machos da linhagem Wistar (n=90) foram alocados em cinco grupos experimentais de acordo com a indução ou não da DM e da terapêutica empregada nas feridas cutâneas produzidas cirurgicamente: (N) normoglicêmico sem terapia complementar; (C) controle diabético sem terapia; (L) terapia com laser de baixa intensidade (660 nm, 30 mW, 4 J/cm2); (P) administração tópica de própolis verde (extrato alcoólico a 30%); e (LP) terapia combinada de laser e própolis. A indução da DM foi realizada por administração intraperitoneal de estreptozotocina, confirmada pelos níveis séricos de glicose ao quinto dia pós-indução e monitorada durante o experimento. As aplicações das terapêuticas foram realizadas no momento pós-cirúrgico imediato e diariamente por seis dias. O fechamento da ferida foi avaliado através de imagens digitais da área cirúrgica, obtidas até o 21º dia. Nos intervalos de 7, 14 e 21 dias, os animais foram submetidos à eutanásia e as áreas de cicatrização foram removidas, fixadas e processadas para avaliação microscópica. Cortes histológicos foram corados com Picrosirius red para análise quantitativa e qualitativa do padrão de organização do colágeno sob microscopia de luz polarizada e fluorescência. Serão avaliadas ainda a expressão das metaloproteinases MMP-2 e MMP-9 e do marcador α-actina de músculo liso para quantificação de miofibroblastos. Os dados parciais demonstram que os grupos tratados (L, P e LP) exibiram um fechamento mais acelerado da área da ferida cirúrgica, com correlação positiva com o índice de colagenização observado. As análises iniciais do padrão de organização tecidual indicam que o grupo LP apresenta fibras colágenas mais longas e mais espessas, sugerindo que a associação terapêutica pode promover um reparo tecidual de melhor qualidade no modelo estudado.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2220417 - CARLOS AUGUSTO GALVAO BARBOZA
Interno - 1330828 - CARLOS EDUARDO BEZERRA DE MOURA
Interno - 2477216 - NAISANDRA BEZERRA DA SILVA FARIAS
Notícia cadastrada em: 07/08/2017 21:15
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa20-producao.info.ufrn.br.sigaa20-producao