Banca de DEFESA: EPIFANIO FERNANDES DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : EPIFANIO FERNANDES DA SILVA
DATA : 23/02/2017
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do Departamento de Morfologia
TÍTULO:

Efeito de ligantes do receptor da nociceptina/orfanina FQ no comportamento agressivo de camundongos machos


PALAVRAS-CHAVES:

 agressividade, camundongo, nociceptina/orfanina FQ, receptor NOP, teste residente-intruso, Ro 65-6570, AT-090, SB-612111


PÁGINAS: 64
RESUMO:

INTRODUÇÃO: A agressividade é um comportamento comum a diversas espécies animais, incluindo humanos. Entretanto, a violência e a impulsividade, associadas à agressividade, são um problema social e podem ser consideradas patológicas, pois estão presentes em vários transtornos psiquiátricos. Diversas áreas encefálicas estão associadas à expressão do comportamento agressivo, como a amígdala, hipotálamo e córtex pré-frontal. Vários sistemas de neurotransmissão estão mediando o comportamento agressivo, dentre eles: serotonina, dopamina, noradrenalina e GABA.  De maneira geral, os alvos terapêuticos disponíveis para controle da agressividade modulam a função dos sistemas de neurotransmissores acima. A nociceptina/orfanina FQ (N/OFQ) é um heptadecapeptídeo que atua como ligante do receptor NOP. Evidências clínicas e pré-clínicas mostram o envolvimento do sistema N/OFQ – receptor NOP com transtornos psiquiátricos, incluindo aqueles nos quais a agressividade está associada. OBJETIVO: Este trabalho investigou o efeito de fármacos clássicos e ligantes do receptor NOP no comportamento agressivo de camundongos machos, por meio do teste do residente-intruso. MÉTODOS: Foram utilizados camundongos Swiss machos. Valproato 300 mg/kg, Lítio 50 mg/kg, Carbamazepina 20 mg/kg e Diazepam 1 mg/kg foram os fármacos clássicos utilizados nesse estudo. Dentre os ligantes NOP utilizados destacam-se: Ro 65-6570 (0,01 – 1 mg/kg), agonista pleno, AT-090 (0,01-0,1 mg/kg), agonista parcial, SB-612111 (1-10 mg/kg), antagonista NOP.  Para o teste do residente-intruso, camundongos machos foram isolados por 7 dias (residentes). Nos 8° e 11° dia, foram realizadas sessões de avaliação da agressividade, por meio da inserção de um camundongo intruso na caixa do residente por 10 min. No dia 8, a agressividade basal foi avaliada sem qualquer tratamento prévio; no dia 11, o mesmo camundongo residente foi novamente avaliado, após ter recebido o tratamento relativo ao seu grupo experimental. O campo aberto foi utilizado para avaliar o efeito dos fármacos na atividade locomotora. RESULTADOS: Valproato, Lítio, Carbamazepina reduziram o comportamento agressivo no teste do residente-intruso, enquanto que o tratamento com Diazepam não afetou a agressividade dos residentes. A administração de Ro 65-6570 (em todas as doses testadas) e AT-090 (na dose  mais alta), aumentou o comportamento agressivo. Já o agonista parcial, AT-090, nas menores doses, reduziu discretamente a agressividade dos residentes. O tratamento com SB-612111 não modificou o comportamento agressivo dos animais. Nenhum dos tratamentos alterou a atividade locomotora dos animais. CONCLUSÃO: Os fármacos clássicos utilizados na clínica para tratamento de transtornos psiquiátricos, os quais incluem sintomas de agressividade, foram eficazes em controlar a agressividade nos camunodngos residentes. Por outro lado, a ativação do receptor NOP tende a aumentar o comportamento agressivo, enquanto que o bloqueio deste sinal não foi modifica este comportamento. Em última análise, com estes dados sugere-se que os agonistas NOP poderiam promover como efeito adverso aumento da agressividade. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1645202 - ELAINE CRISTINA GAVIOLI
Interno - 1720860 - VANESSA DE PAULA SOARES RACHETTI
Externo à Instituição - GIROLAMO CALO - UNIFE
Notícia cadastrada em: 07/02/2017 17:11
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa23-producao.info.ufrn.br.sigaa23-producao