Banca de DEFESA: HELDER HENRIQUE ALVES DE MEDEIROS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: HELDER HENRIQUE ALVES DE MEDEIROS
DATA: 26/06/2015
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório do Departamento de Morfologia
TÍTULO:

CITOARQUITETURA E IMUNOISTOQUÍMICA PARA TIROSINA-HIDROXILASE DOS NÚCLEOS DOPAMINERGICOS MESENCEFÁLICOS DO MORCEGO (Artibeus planirostris).


PALAVRAS-CHAVES:

Mesencéfalo; Dopamina; Zona Retrorubral; Substância Negra; Área Tegumentar Ventral; Morcego; Artibeus planirostris.


PÁGINAS: 56
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Morfologia
SUBÁREA: Anatomia
ESPECIALIDADE: Anatomia Animal
RESUMO:

A 3-Hidroxitiramina/Dopamina (DA) é uma monoamina do grupo das
catecolaminas e consiste na substância precursora da síntese de noradrenalina e
adrenalina, tendo a enzima Tirosina-Hidroxilase (TH) como reguladora desse processo.
Além disso, a DA tem a capacidade de atuar como neurotransmissor no Sistema
Nervoso Central – SNC, sendo o neurotransmissor principal de neurônios de nove
núcleos encefálicos, nomeados de A8 ao A16. Os núcleos do mesencéfalo que
expressam DA são a Zona Retrorubral (RRF, grupo A8), a Substância Negra pars
compacta (SNc, grupo A9) e a Área Tegmental Ventral (VTA, grupo A10). Tais núcleos
estão envolvidos em três complexas circuitarias que são a mesoestriatal, mesolímbica e
mesocortical, os quais estão relacionadas diretamente com diversas manifestações
comportamentais como controle da motricidade, sinalização de recompensa na
aprendizagem comportamental, motivação e nas manifestações patológicas da Doença
de Parkinson e esquizofrenia. Todavia, muitos aspectos de caráter morfofuncional
desses núcleos ainda continuam sem esclarecimentos. Considerando a relevância dos
núcleos dopaminérgicos mesencefálicos, o objetivo deste trabalho é caracterizar
morfologicamente os núcleos dopaminérgicos (grupamentos A8, A9 e A10) do
mesencéfalo do morcego (Artibeus planirostris). O Artibeus planirostris é um morcego
comum no Rio Grande do Norte. Foram utilizados dez animais nesta pesquisa. Os
animais foram anestesiados, perfundidos e os encéfalos removidos da cavidade
craniana. Após desidratação em sacarose, os encéfalos foram submetidos a microtomia
e secções coronais foram obtidas e coletadas em seis compartimentos distintos. Os
compartimentos foram submetidos a coloração pela técnica de Nissl para análise
citoarquitetônica e as demais séries foram submetidas a imunoistoquímica para TH.
Com base na técnica de Nissl e na imunoistoquímica para TH foi possível verificar os
limites anatômicos, assim como a citoarquitetura e possíveis subdivisões dos três
núcleos dopaminérgicos do mesencéfalo. No sentido rostro-caudal, os primeiros
neurônios dopaminérgicos a surgirem fazem parte da SNc e se estendem até níveis mais
caudais do mesencéfalo. A VTA surge nas secções rostrais e continua até o nível caudal.
No nível caudal surge a RRF. A SNc apresentou a existência de uma subdivisão, a
cauda da substância negra, encontrada em apenas dois outros animais estudados. O
presente estudo indica que os núcleos dopaminérgicos do mesencéfalo do Artibeus
planirostris apresenta semelhanças citoarquitetônicas, bem como no padrão de
distribuição de neurônios imunorreativos a Tirosina Hidroxilase em comparação a
10 outras espécies de mamíferos estudados, com pequenas variações, identificada na
substância negra.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 4363493 - EXPEDITO SILVA DO NASCIMENTO JUNIOR
Externo à Instituição - FERNANDO VAGNER LOBO LADD - USP
Externo à Instituição - JOSÉ RODOLFO LOPES DE PAIVA CAVALCANTI - UERN
Notícia cadastrada em: 16/06/2015 12:10
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa12-producao.info.ufrn.br.sigaa12-producao