Banca de DEFESA: MARIA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA REINALDO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARIA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA REINALDO
DATA: 19/03/2015
HORA: 08:30
LOCAL: Auditório do Departamento de Morfologia
TÍTULO:

EFEITO DA OLMESARTANA NA RESPOSTA INFLAMATÓRIA EM MUCOSITE INTESTINAL INDUZIDA POR METROTREXATO EM RATOS


PALAVRAS-CHAVES:

modelo de mucosite intestinal; Olmesartana; inflamação.


PÁGINAS: 69
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
SUBÁREA: Anatomia Patológica e Patologia Clínica
RESUMO:

O metotrexato (MTX) é um composto pró-oxidante que inibe a dihidrofolatoredutase, enzima importante na síntese de DNA. É amplamente utilizado no tratamento de leucemia e outras malignidades. A eficácia de metotrexato é muitas vezes limitada pela mucosite e lesão intestinal, que são as principais causas de morbidade em crianças e adultos. O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito da Olmesartana (OLM), um antagonista do receptor da angiotensina II, em um modelo de mucosite intestinal (MMI) induzida por MTX em ratos Wistar. MMI foi induzido através de injeção intraperitoneal (i.p.) de MTX (7 mg/kg) durante três dias consecutivos. Os animais foram pré-tratados com OLM oral a 0.5 mg/kg, 1 mg/kg e 5 mg/kg e com solução salina, 30 minutos antes da exposição ao MTX. Os métodos utilizados nesta investigação foram aprovados pela Comissão de Ética no Uso de Animais (CEUA) da Universidade Federal do Rio Grande Norte (UFRN) (Número de aprovação: 016/2013). Fragmentos de intestino delgado foram homogeneizados para ensaio de pesquisa das citocinas L-1β, IL-10 e TNF-α, atividade do Malonaldeído (MDA) e da Mieloperoxidase (MPO). Além disso, análises de imunohistoquímica da MMP-2, MMP-9, COX-2, RANK / RANKL e SOCS-1 além da análise da co-localização da expressão de SOCS-1 pela microscopia confocal foram realizadas. O tratamento com MTX+OLM 5mg/kg resultou numa redução da infiltração inflamatória da mucosa, ulcerações, vasodilatação e áreas hemorrágicas (p<0,05), bem como as concentrações reduzidas de MPO (p<0,001) e as citocinas pró-inflamatórias IL-1β e TNF-α (p <0,01). Além disso, o tratamento combinado reduziu a expressão de MMP-2, MMP-9, COX-2, RANK e RANKL (p<0,05) e aumentou a expressão citoplasmática de SOCS-1 (p<0,05). Nossos achados confirmam o envolvimento de OLM na redução da resposta inflamatória através do aumento da sinalização imunossupressora em MMI. Sugerimos também que o efeito benéfico do tratamento com a Olmesartana é especificamente exercida durante o dano através do bloqueio de citocinas inflamatórias.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2374605 - AURIGENA ANTUNES DE ARAUJO
Presidente - 2329140 - RAIMUNDO FERNANDES DE ARAUJO JUNIOR
Externo à Instituição - RENATA FERREIRA DE CARVALHO LEITÃO - UFC
Notícia cadastrada em: 23/02/2015 19:34
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa22-producao.info.ufrn.br.sigaa22-producao