Banca de QUALIFICAÇÃO: MARCELO JOSÉ SANTIAGO LISBOA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARCELO JOSÉ SANTIAGO LISBOA
DATA: 28/11/2014
HORA: 11:00
LOCAL: Sala dos epitélios ST1
TÍTULO:

SUPLEMENTAÇÃO DE ANTIOXIDANTE ÁCIDO ASCÓRBICO NA
DIETA DE CAMUNDONGOS MDX (UM MODELO DE DISTROFIA
MUSCULAR DE DUCHENNE): REPERCUSSÕES MORFOLÓGICAS NO
MÚSCULO LISO (ESTRUTURA PRIMÁRIA) E NO PLEXO
MIOENTÉRICO (ESTRUTURA SECUNDÁRIA) DO ÍLEO


PALAVRAS-CHAVES:

Distrofia Muscular de Duchenne; Antioxidante; Ácido Ascórbico; Tecido
Muscular; Plexo Mioentérico; Aspectos Morfofuncionais; Íleo.


PÁGINAS: 28
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Morfologia
SUBÁREA: Histologia
RESUMO:

A Distrofia Muscular de Duchenne (DMD) é uma doença de origem genética recessiva
ligada ao cromossomo X caracterizada pela ausência da distrofina, sendo o camundongo mdx
amplamente utilizado como modelo animal para estudos com Duchenne. Acometendo um em
cada 3.500 nascidos vivos do sexo masculino, a DMD induz a uma miopatia grave,
determinando lesões e necrose muscular. Considerando-se a direta relação do plexo
mioentérico com a musculatura lisa intestinal, e que a manutenção da integridade dessas
estruturas tem importância fundamental na função normal do sistema digestório (controlando
a motilidade gastrintestinal), foi almejado na presente pesquisa em camundongos mdx, com o
auxílio de técnicas histoquímicas, analisar as repercussões da suplementação do antioxidante
ácido ascórbico na morfologia do plexo mioentérico e na túnica muscular do íleo em
camundongos das linhas C57BL/10 e C57BL/10Mdx. Foram utilizados 15 animais machos
distróficos (C57BL/10-Dmdmdx) e 15 normais (C57BL/10) divididos nos seguintes grupos,
de acordo com a idade (n=5): controle com 30 dias de idade (GC30); distrófico com 30 dias
de idade (GD30); controle com 60 dias de idade (GC60); distrófico com 60 dias de idade
(GD60), além de dois grupos de animais (controle e distrófico) que, a partir do 31º dia foram
suplementados com 0,05g de ácido ascórbico/dia via gavagem e, mantidos até atingirem 60
dias de vida e, constituíram respectivamente, os grupos GCS60 (n=5) e GDS60 (n=5). Os
resultados obtidos foram analisados estatisticamente de acordo com métodos apropriados para
os grupos. Com relação ao peso corporal (g) verificou-se que o grupo D60 apresentou maior
peso médio em relação aos demais grupos, e que no grupo DS60 o ácido ascórbico contribuiu
para a manutenção deste parâmetro. Aparentemente observou-se maior reatividade nos
neurônios marcados com AChE nos grupos suplementados CS60 e DS60, além disso, foi visto
que a densidade neuronal no íleo de neurônios colinérgico foi maior no grupo D30 e no grupo
DS60, do que nos grupos demais grupos. Desta forma, podemos concluir que de maneira
geral, a suplementação com ácido ascórbico auxiliou na manutenção nos neurônios
mioentéricos do íleo.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1837354 - JULLIANE TAMARA ARAUJO DE MELO
Externo ao Programa - 1573810 - KARINNA VERISSIMO MEIRA TAVEIRA
Presidente - 1544854 - NAIANNE KELLY CLEBIS
Notícia cadastrada em: 18/11/2014 18:52
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa08-producao.info.ufrn.br.sigaa08-producao