Banca de QUALIFICAÇÃO: ANA VALERIA COUTINHO DA CAMARA ROCHA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ANA VALERIA COUTINHO DA CAMARA ROCHA
DATA : 25/05/2018
HORA: 14:00
LOCAL: Quarto subsolo do HUOL
TÍTULO:

IMPLANTAÇÃO E ANÁLISE DA AVALIAÇÃO DE APRENDIZAGEM DO RESIDENTE NO PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM ENDOSCOPIA DIGESTIVA DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ONOFRE LOPES.


PALAVRAS-CHAVES:

Avaliação Educacional, Educação Médica, Educação Baseada em Competências, Competência Clínica, Preceptoria.


PÁGINAS: 70
RESUMO:

A avaliação pode ser parte integrante de todo processo de ensino-aprendizagem, podendo contribuir para a melhoria de ferramentas didáticas e eventuais ajustes no conteúdo programático ou mesmo na estrutura curricular, principalmente quando tem um caráter formativo. O objetivo desse estudo é descrever a implantação de um modelo de avaliação de desempenho do residente no Programa de Residência Médica de Endoscopia Digestiva (PRMED) utilizando o DOPS, (Direct Observation of Procedural Skills ou Observação Direta das Habilidades em Procedimentos), capacitar os preceptores para utilizá-lo e analisar a compreensão de todo o processo por parte dos residentes e preceptores. Trata-se de um estudo exploratório, prospectivo, do tipo pesquisa ação, desenvolvido entre Novembro de 2016 e Fevereiro de 2018, realizado no setor de Endoscopia Digestiva do Hospital Universitário Onofre Lopes. O universo do estudo foram os residentes da Gastroenterologia e da Cirurgia do Aparelho Digestivo, que realizaram seu treinamento durante o período do estudo e que aceitaram participar do mesmo. O programa de residência consiste em um ano de treinamento em endoscopia alta e baixa no terceiro ano de residência em Gastroenterologia ou Cirurgia do Aparelho Digestivo. O estudo foi realizado em três etapas. A primeira compreendeu a realização de um curso para capacitar os preceptores do programa de residência em endoscopia digestiva para realizar avaliações práticas, utilizando um instrumento de avaliação, o DOPS, o qual foi escolhido, pois permite acessar os três aspectos principais da competência, o conhecimento, as habilidades técnicas e as atitudes, sendo elaborado durante o estudo pelos próprios preceptores do programa. A segunda etapa foi a utilização dessa ferramenta de avaliação na prática diária do serviço tendo como forma de coleta de dados a observação direta do pesquisador com anotações de suas impressões. As avaliações realizadas foram arquivadas em pastas individuais para cada residente, os quais poderiam ter livre acesso a estas e a qualquer momento. A última etapa, realizada após um ano de utilização do instrumento no serviço, consistiu na realização de entrevistas semi estruturadas com os residentes e preceptores com o objetivo de compreender como todo o processo foi entendido por eles. O curso de capacitação foi desenvolvido em dois encontros, aonde participaram 70% (seis) dos preceptores do serviço. O questionário de micro habilidades da preceptoria minuto nos evidenciou que mesmo de foram empírica, os preceptores utilizavam pelo menos parcialmente as técnicas nele envolvidas, à medida que foi possível constatar que mais da metade realizava as etapas de estimular a formulação de uma hipótese diagnóstica e o raciocínio diagnóstico, ensinava uma regra geral e dava feedback em mais de 60% das vezes. Em relação ao fornecimento de feedback, a grande maioria (83%) afirmou realizá-lo em mais de 60% das vezes. Apenas em relação a questões de incentivar os diagnósticos diferenciais, metade dos preceptores afirmou incentivar em menos de 60% do tempo, sendo que destes, 33,4% incentivavam em menos de 10% de seu tempo. foram realizadas trinta e duas avaliações, uma média de 5,3 avalições por preceptor. A entrevista com os preceptores relevou que todos acharam a experiência de avalição através do DOPS, satisfatória. Antes da utilização do instrumento de avaliação, DOPS, apenas dois dos seis afirmaram que avaliavam frequentemente comunicação e profissionalismo. A maioria afirmou não saber fornecer feedback formativo antes da experiência (66,6%) e o mesmos percentual afirmou ter encontrado as vezes, alguma dificuldade em aplicá-lo. Todos os residentes foram avaliados e relataram que o aprendizado melhorou após a implantação do DOPS, inclusive com mudança de postura do preceptor e deles também. Todos concordaram que as avaliações seguidas de feedback proporcionaram a eles, melhora na realização dos procedimentos endoscópicos diagnósticos e terapêuticos. A implantaçao da avaliação de desempenho do residente no PRM em endoscopia digestiva ocorreu, sendo bem aceita pelos preceptores e residentes.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2495713 - ROSIANE VIANA ZUZA DINIZ
Interno - 2172036 - MARIA JOSE PEREIRA VILAR
Interno - 2171948 - PAULO JOSE DE MEDEIROS
Notícia cadastrada em: 15/05/2018 08:42
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa08-producao.info.ufrn.br.sigaa08-producao