Banca de DEFESA: GUSTAVO HENRIQUE DE OLIVEIRA CALDAS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : GUSTAVO HENRIQUE DE OLIVEIRA CALDAS
DATA : 04/12/2017
HORA: 08:00
LOCAL: sala RUTE - HUOL
TÍTULO:

CUIDADOS PALIATIVOS: UMA PROPOSTA PARA O ENSINO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA


PALAVRAS-CHAVES:

Cuidados Paliativos, Educação Médica, Pesquisa Qualitativa, Medicina Paliativa, Currículo.

 


PÁGINAS: 60
RESUMO:

INTRODUÇÃO: O aprofundamento sobre as temáticas relacionadas à terminalidade da vida tem sido uma preocupação de profissionais de saúde que lidam com pacientes nessa situação. As demandas individuais e de familiares diante da constatação de deficiências na assistência dispensada aos pacientes que necessitam de cuidados paliativos, nos levam a refletir sobre a necessidade de aquisição de competências na área de Cuidados Paliativos na formação dos graduandos de medicina. OBJETIVOS: Propor competências essenciais para o ensino de Cuidados Paliativos nos cursos de graduação em medicina. PERCURSO METODOLÓGICO: A pesquisa se delineou como um estudo descritivo e de natureza qualitativa do tipo estudo de caso. Inicialmente, foi feita uma pesquisa documental na literatura nacional e internacional sobre competências gerais em Cuidados Paliativos; no sentido de construir um quadro com sugestões de competências específicas para o ensino de graduação no Brasil. A seguir, o material elaborado foi apresentado individualmente a 8 profissionais com formação especializada em cuidados paliativos, de diferentes áreas (médico, enfermeiro, psicólogo, terapeuta ocupacional) para análise, acompanhado de uma entrevista com três questões abertas: 1) O que você sugere, diante do material que lhe foi entregue, quanto às competências essenciais em cuidados paliativos para o ensino de graduação em medicina? 2) Comente sobre a importância dainterprofissionalidade, enfatizando as dimensões biológica, psicológica, social e espiritual do cuidado e 3) Fale sobre os obstáculos para implementação da proposta no ensino da graduação de medicina. Na análise documental e nas entrevistas com os profissionais, foi utilizada a análise de conteúdo temática categorial proposta por Bardin. RESULTADOS: A pesquisa documental inicial resultou em 5 categorias (Introdução, Controle de sintomas, Equipe interprofissional, tópico em Cuidados Paliativos, Assistência nos Últimos Momentos de Vida), 8 subcategorias e 96 unidades de análise que deram subsídio ao pesquisador para construção das sugestões de competências, distribuídas num quadro em cinco módulos, com seus respectivos conteúdos. Das entrevistas com os profissionais, após leitura do material que lhes foi entregue, emergiram 6 categorias (Princípios Básicos dos Cuidados Paliativos, Manejo de Sintomas, Questões Éticas e Legais, Comunicação e Aspectos Psicossociais e Espirituais, Trabalho em Equipe e Desafios para a Implantação da Proposta), além de 12 subcategorias e 168 unidades de análise. Sobre a categoria “Desafios para a implantação da proposta” o desconhecimento conceitual de gestor e profissionais de saúde sobre cuidados paliativos surge, nas unidades de análises, como um dos principais obstáculos a ser superado. Das falas contidas nas subcategorias e unidades de análise, emergiram sugestões para melhor distribuição dos módulos, resultando na renomeação destes (Princípios Básicos dos Cuidados Paliativos, Manejo de sintomas, Trabalho em Equipe, Cuidados Paliativos nas Especialidades Médicas, Questões Éticas e Legais, Assistência nos Últimos Momentos de Vida), assim colocando em destaque em destaque o trabalho em equipe interprofissional como competência essencial a ser adquirida no ensino de Cuidados Paliativos na graduação. CONSIDERAÇÕES FINAIS: A lacuna existente no ensino de graduação em medicina sobre os vários aspectos que envolvem a terminalidade da vida, não pode ser ignorada diante da demanda crescente na prática médica. A discussão e aprimoramento das competências em Cuidados Paliativos sugeridas nesse estudo serão certamente essenciais durante os fóruns de educação médica, para que possamos ter mais clareza do que realmente é necessário para a formação do médico generalista.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - LUCIANA BRANCO DA MOTTA - UERJ
Presidente - 2172036 - MARIA JOSE PEREIRA VILAR
Externo ao Programa - 1576805 - THIAGO GOMES DA TRINDADE
Notícia cadastrada em: 23/11/2017 14:47
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa18-producao.info.ufrn.br.sigaa18-producao