Banca de DEFESA: LUIS ALCIDES DE LUCENA MARINHO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LUIS ALCIDES DE LUCENA MARINHO
DATA: 07/08/2015
HORA: 11:00
LOCAL: Sala RUTE do Departamento de Pediatria - UFRN
TÍTULO:

 

DOENÇA RENAL CRÔNICA:  PERFIL DO CONHECIMENTO DOS MÉDICOS  CONFORME AS DIRETRIZES ATUAIS

 

 


PALAVRAS-CHAVES:

Doença Renal Crônica. Conhecimento médico. Diretrizes


PÁGINAS: 57
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
SUBÁREA: Clínica Médica
ESPECIALIDADE: Nefrologia
RESUMO:

INTRODUÇÃO: A doença renal crônica (DRC) é um problema de saúde mundial, com prevalência crescente no seu estágio terminal, fatos que podem ser justificados pela falha no reconhecimento da doença e dos seus fatores de risco. OBJETIVO: Avaliar o perfil de conhecimento de médicos residentes (MR) e médicos preceptores (MP) em hospitais da Universidade Federal do Rio Grande do Norte em Natal-RN - Brasil, sobre a DRC, com base na diretriz do Kidney Disease Outcomes Quality Initiative (KDOQI). MÉTODOS: Estudo de corte transversal, onde 64 MR (R1=32; R2=15; R3=17) e 63 MP responderam um questionário baseado na diretriz do KDOQI, dividido em sete sessões, abordando aspectos da DRC desde a definição, até o encaminhamento ao nefrologista. RESULTADOS: Apenas 20 participantes (15.7%) informaram utilizar alguma diretriz para o manejo da DRC. Os scores obtidos por sessão foram: Definição e classificação (46.1±47.8); Fatores de risco (70.5±27.9); Avaliação laboratorial (58.2±8.8); Plano de ação clínica (57.6±19.9); Redução da proteinúria (68.3±15.0); Complicações (64.8±19.9); Encaminhamento ao nefrologista (73.0±44.6). Observamos que houve uma diferença estatisticamente significante entre o conhecimento dos MR e MP nas sessões: Avaliação laboratorial (MR 61.5±8.4 vs MP 54.8±7.9; p<0.001); Redução da proteinúria (MR 73.1±11.4 vs MP 63.5±16.7; p<0.001) e Encaminhamento ao nefrologista (MR 81.2±39.3 vs MP 64.5±48.2; p=0.035). Entre os MR, os R2 obtiveram a melhor pontuação (R1 63.9±22.6 vs R2 71.9±17.2 vs R3 63.5±22.5; p=0.445). Observamos um baixo percentual de acerto dos médicos sobre a definição da DRC (MP=46%; R1=40.6%; R2=60%; R3=52.9%; p=0.623), assim como a classificação da DRC (MP=34.9%; R1=53.1%; R2=60%; R3=52.9%; p=0.158). CONCLUSÃO E CONSIDERAÇÕES FINAIS: Diretrizes para DRC são pouco utilizadas por médicos que, mesmo atuando em ambiente universitário, ainda expõem lacunas no conhecimento sobre o tema. Nesse sentido, propomos a realização de uma oficina para os médicos participantes e estudantes do internato da UFRN, utilizando estratégias educacionais centradas no estudante, no sentido de fortalecer a incorporação das diretrizes da DRC no ensino de graduação e na prática clínica de médicos em geral.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - EDNA REGINA SILVA PEREIRA - UFG
Externo ao Programa - 572904 - JOSE BRUNO DE ALMEIDA
Presidente - 2172036 - MARIA JOSE PEREIRA VILAR
Notícia cadastrada em: 06/08/2015 07:09
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa10-producao.info.ufrn.br.sigaa10-producao