Banca de DEFESA: CELESTE MARIA DE MENEZES SOUZA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CELESTE MARIA DE MENEZES SOUZA
DATA: 24/04/2015
HORA: 10:00
LOCAL: ANFITEATRO IAPERI ARAÚJO - DEPARTAMENTO DE TOCOGINECOLOGIA
TÍTULO:

AVALIAÇÃO COMPARATIVA DA EFICÁCIA DOS MEIOS DE DIAGNÓSTICO DAS VULVOVAGINITES: IMPLANTAÇÃO DE NOVA TECNOLOGIA NO ENSINO PRÁTICO DA GINECOLOGIA



PALAVRAS-CHAVES:

 

 

 

Diagnóstico, Candidíase, Vaginose Bacteriana e Tricomoníase.


PÁGINAS: 35
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
SUBÁREA: Saúde Materno-Infantil
RESUMO:

Diagnósticos imprecisos das vulvovaginites geram tratamentos inadequados que causam prejuizos a saúde das mulheres. Objetivo: avaliar sistematicamente a eficácia dos métodos diagnósticos das vulvovaginites infecciosas. Método: foi realizado um estudo de corte transversal com 200 mulheres no menacme com queixa de corrimento vaginal. Destas, foi coletado material vaginal mulheres para realizar exames: microbiológico a fresco e corado pelo Gram, Citologia oncológica, teste das aminas e mensuração do pH vaginal. Foi avaliada a eficácia (sensibilidade, especificidade, valor preditivo positivo e valor preditivo negativo) dos métodos disponíveis para diagnóstico do corrimento vaginal.  Os dados foram coletados em forma de planilha do software Excel/Office 2010 com todas as variáveis e foi exportado para o Graphpad Prism 6, para análise estatística.  Resultados: Na avaliação da eficácia dos métodos foram estudadas 200 pacientes, tendo como padrão ouro o exame microbiológico corado pelo gram foram obtidos os seguintes resultados: Citologia oncológica para vaginose bacteriana: sensibilidade=15% especificidade=80%; valor predictivo positivo (VPP)=16%; valor preditivo negativo (VPN)=79%; Citologia oncológica para candidíase vaginal: sensibilidade=15% especificidade=80%; valor predictivo positivo (VPP)=16%; valor preditivo negativo (VPN)=79%; Exame a fresco para vaginose bacteriana: sensibilidade=16% especificidade=76%; valor predictivo positivo (VPP)=14%; valor preditivo negativo (VPN)=78%; Exame a fresco para candidíase vaginal: sensibilidade=3% especificidade=88%; valor predictivo positivo (VPP)=2,5%; valor preditivo negativo (VPN)=89%; Abordagem sindrômica para vaginose bacteriana: sensibilidade=19% especificidade=34,5%; valor predictivo positivo (VPP)=6,7%; valor preditivo negativo (VPN)=63%; Abordagem sindrômica para candidíase vaginal: sensibilidade=3% especificidade=82%; valor predictivo positivo (VPP)=1,7%; valor preditivo negativo (VPN)=89%.Houve apenas um único caso de tricomoníase vaginal, diagnosticado pela citologia oncológica e exame à fresco, confirmado pelo Gram. A abordagem sindrômica o deu como vaginose bacteriana.  A partir destes dados e tendo ainda o suporte da literatura mundial, foi elaborado o Protocolo de diagnóstico e tratamento das Vulvovaginites da Maternidade Escola Januário Cicco /UFRN

Conclusão: Todos os métodos avaliados, a despeito de demonstrarem boa especificidade, apresentaram baixa sensibilidade, o que implica na prática clínica em um grande número de pacientes não diagnosticadas ou tratadas de forma incorreta.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1199080 - ANA KATHERINE DA SILVEIRA GONCALVES DE OLIVEIRA
Externo ao Programa - 2149416 - MARIA DA CONCEICAO DE MESQUITA CORNETTA
Externo à Instituição - LUCIARA FABIANE SEBO - UFSC
Notícia cadastrada em: 22/04/2015 12:58
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa02-producao.info.ufrn.br.sigaa02-producao