Banca de DEFESA: JOSÉ HILTON NOGUEIRA JÚNIOR

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOSÉ HILTON NOGUEIRA JÚNIOR
DATA: 11/04/2015
HORA: 09:00
LOCAL: Quarto subsolo do HUOL-UFRN
TÍTULO:

PERÍCIA MÉDICA PREVIDENCIÁRIA: O QUE ESTUDANTES E MÉDICOS
SABEM SOBRE O TEMA?


PALAVRAS-CHAVES:

Pericia Médica Previdenciária , Educação Médica 


PÁGINAS: 29
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

O tema Perícia Médica Previdenciária é, sabidamente, pouco explorado
durante a formação médica, seja na graduação ou na residência médica/
especialização, apesar de ser extremamente relevante no dia a dia do médico,
deixando-o, algumas vezes, em situação conflituosa. O objetivo geral deste estudo foi
contribuir para a inserção do tema Perícia Médica Previdenciária no curso de
graduação em Medicina da UFRN, partindo de um diagnóstico situacional onde 200
estudantes do internato, 198 médicos residentes e 170 profissionais médicos que
atuam nos hospitais de ensino da UFRN responderam um questionário sobre o tema,
abordando questões sobre o nível de conhecimento em relação aos principais tipos
de benefícios por incapacidade concedidos pelo INSS, percentual de solicitação de
Atestados no serviço público, capacidade para elaboração de atestados médicos e a
medida do nível de confiança dos médicos em avaliar a capacidade laborativa de
pacientes em sua área de atuação. Os resultados mostraram que os principais tipos
de benefícios por incapacidade são pouco conhecidos tanto pelos estudantes do
internato como pelos médicos e o tempo de formado não foi considerado tão decisivo
na melhoria deste grau de conhecimento. Foi visto também que a demanda de
atestados médicos para o INSS no serviço público parece considerável, com quase
70% dos médicos informando demanda em até 30% dos atendimentos diários. O
tempo de formado parece ter influência sobre a segurança na elaboração de
atestados e na capacidade de avaliação do potencial laboral dos pacientes. A partir
desses resultados foi conduzido um “estudo piloto” através de um mini-curso teóricoprático,
baseado em um modelo de intervenção pedagógica com metodologia ativa,
destinado ao mesmo público-alvo, desenvolvendo e discutindo estratégias de como
deve se comportar o médico assistente no conflito “doença x incapacidade laborativa”,
com ênfase principal na elaboração de atestados médicos. Noções básicas sobre
benefícios da previdência social e atuação do médico perito também foram
abordadas. Após esta intervenção, estes indivíduos foram submetidos a um
questionário de satisfação quanto ao aprendizado e a abordagem pedagógica
utilizada. Apesar da amostra pouco expressiva de 27 participantes no total, foi
possível observar um avanço no grau de conhecimento e na motivação de médicos e
estudantes a respeito do tema perícia médica previdenciária. Concluímos, portanto,
que o conhecimento sobre o tema Perícia Médica Previdenciária é frágil entre
médicos e estudantes de medicina. Este modelo de intervenção aplicado a um público
maior e de forma sistematizada pode ser um passo importante na tentativa de incluir,
este tema no currículo do curso de medicina da UFRN. 1. INTRODUÇÃO
O tema Perícia Médica Previdenciária faz parte do dia a dia da mai


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2172036 - MARIA JOSE PEREIRA VILAR
Externo à Instituição - MARINALDO HORACIO DE OLIVEIRA MEDEIROS - UERN
Externo ao Programa - 2328810 - MAURICIO GALVAO PEREIRA
Notícia cadastrada em: 01/04/2015 22:54
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa24-producao.info.ufrn.br.sigaa24-producao