PPGMUS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MÚSICA ESCOLA DE MÚSICA Telefone/Ramal: (84) 99474-6734 https://posgraduacao.ufrn.br/ppgmus

Banca de DEFESA: MICAS ORLANDO SILAMBO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MICAS ORLANDO SILAMBO
DATA : 30/11/2018
HORA: 09:00
LOCAL: Sala 22 Escola de Musica
TÍTULO:

Processos nativos na formação musical: uma pesquisa sobre a aprendizagem da Mbira Nyunganyunga


PALAVRAS-CHAVES:

Processos nativos; Educação musical e etnomusicologia; Aprendizagem instrumental; Formação musical e cultural; Mbira Nyunganyunga.


PÁGINAS: 146
RESUMO:

Esta dissertação é resultado de um estudo sobre a inserção de estratégias nativas de aprendizagem musical na formação de futuros profissionais da música e da educação musical. O objetivo desta pesquisa, realizada no âmbito do Programa de Pós- Graduação em música da EMUFRN foi a investigar a aplicabilidade do material didático para a transmissão e aprendizagem da Mbira Nyunganyunga, um instrumento musical tradicional africano, tendo em conta os processos e saberes que ressaltam o seu fazer musical em uma oficina com licenciandos da EMUFRN. Considerando esse contexto cultural, esta dissertação apresenta, discute, analisa e reflete sobre sujeitos, processos, situações, práticas, conhecimentos, saberes entre outras atividades que configuram a formação musical do indivíduo no contexto da música de Mbira. A dissertação é fundamentada em perspectivas epistemológicas no escopo de relações de distintas áreas: da etnomusicologia, antropologia cultural, educação musical, entre outras áreas tendo como suporte metodológico uma técnica retrospectiva que possibilitou uma reflexão intensa sobre as práticas e saberes vivenciadas no contexto da música da Mbira desde 2008 nos projetos Mukhambira e Wakambira. Este trabalho é dialogado com estudos realizados pelo etnomusicólogo americano Paul Berliner (1978) durante 7 anos sobre a  música e tradições dos povos Vashona de Zimbabwe que aborda entre outros temas, dos métodos de ensino e aprendizagem da música de Mbira e o seu simbolismo para os executantes. Nessa perspectiva, o estudo teve como bases investigativas: pesquisa bibliográfica, abrangendo diferentes áreas de conhecimento; pesquisa documental para a descoberta de um amplo conjunto de documentos incluindo a observação de fotografias, do material audiovisual, dos métodos e práticas da Mbira; questionário diagnóstico que visou construir dados sobre os contextos e grupos nos quais ocorre a aprendizagem da Mbira em Moçambique; métodos documentados para a sua aprendizagem;  atualização do seu nível de difusão e adesão nas comunidades e nas escolas; identificação dos maiores intervenientes no processo da sua transmissão e aprendizagem; reconhecer o repertório usado na  sua aprendizagem dentro e fora das instituições de ensino; bem como descrever o nível de motivação pela aprendizagem deste instrumento; Igualmente esta técnica ajudou a (re)conhecer o perfil, os dados, as preferências, as necessidades musicais dos participantes da oficina; observação participante para vivenciar as atividades e tecer dados para construir o diário de pesquisa; entrevistas semiestruturadas, visando construir as percepções e sugestões dos participantes sobre o material didático proposto;  e análise triangular das singularidades obtidas para amplificar a interpretação, manutenção, modificação, revisão, e avaliação do material didático. O procedimento metodológico elencado nesta pesquisa qualitativa induziu a inclusão de uma pesquisa-ação integral. Os resultados da pesquisa evidenciaram singularidades da formação musical e cultural através de elementos fundamentais e saberes que demonstraram que as práticas  de música de Mbira apresentam uma forma e estrutura da performance musical como uma ação social com importante consequência para os outros tipos de ações culturais. A ressignificação das práticas musicais idiossincráticas e idiomáticas compartilhadas e transmitidas no contexto da música de Mbira, não só mantêm a música viva e dinâmica, mas também minimizam os choques culturais que têm se verificados nas academias, permitindo que a escola se torne mais permeável à pluralidade cultural e amplie referências transformadoras na construção e formação pedagógica mais consolidada e diversificada  no âmbito da educação e formação musical na contemporaneidade.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - MARIO ANDRE WANDERLEY OLIVEIRA - UFRGS
Externo à Instituição - VANILDO MOUSINHO MARINHO - UFPB
Presidente - 2212127 - ZILMAR RODRIGUES DE SOUZA
Notícia cadastrada em: 19/11/2018 11:50
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa01-producao.info.ufrn.br.sigaa01-producao