PPGMUS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MÚSICA ESCOLA DE MÚSICA Telefone/Ramal: (84) 99474-6734 https://posgraduacao.ufrn.br/ppgmus

Banca de DEFESA: MÁXIMO JOSÉ DA COSTA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MÁXIMO JOSÉ DA COSTA
DATA : 19/04/2018
HORA: 09:00
LOCAL: Sala 22 Escola de Musica
TÍTULO:

EDUCAÇÃO MUSICAL ESCOLAR E INDÚSTRIA CULTURAL: um estudo sobre a relaçãode estudantes da Educação Basica com a musica midiatica massivana na cidade do Natal - RN


PALAVRAS-CHAVES:

Educação MusicalEscolar.  Indústria cultural. Relação com a Musica.


PÁGINAS: 125
RESUMO:

Neste trabalho abordo, sob a ótica das teorias críticas, a relação de estudantes de educação básica com música(s), com especial atenção à música midiática massiva. Nesse sentido, foi definido, como objetivo geral, para este estudo, investigar a música midiática massiva sob a ótica de estudantes de três escolas de educação básica da cidade do Natal/RN, contemplando uma instituição da rede pública municipal, uma da rede pública estadual e outra de uma rede privada de ensino. A partir de uma abordagem qualitativa, a pesquisa configurou-se como um estudo multicaso. O campo empírico foi constituído especificamente por três turmas: uma do 9º ano do ensino fundamental na escola particular; outra do 9º ano do ensino fundamental na escola municipal da cidade; e outra do 1º ano do ensino médio na escola estadual do Rio Grande do Norte. Por questão ética e metodológica, optei por não identificar as escolas na dissertação. As três instituições possuem professores formados em Arte/Música e dão aulas integralmente na disciplina Música. Como procedimentos de coleta de dados, realizei um levantamento documental, bem como lancei mão de observação participante, aplicação de questionários, realização de entrevistas semi estruturadas – das quais participaram três alunos de cada uma das turmas – , além de registro em áudio e imagem. Ao final do trabalho, foi possível perceber que o cotidiano dos respondentes é repleto de escuta musical (e que essa escuta, em sua maior parte, contempla produções midiáticas recentes) que ora se conectam – ora não – com as vivências proporcionadas pela praxis pedagógico-musical das escolas em que estudam. Cada estudante demonstrou ter um modo específico de se relacionar com música, apresentando gostos e preferências, bem como atribuindo usos e funções às músicas com as quais se relacionam Conclui que conhecer, compreender e refletir sobre essas diferentes músicas é estar aberto é condição para convivência de manifestações que compõem a diversidade sociocultural contemporânea – sejam estas oriundas da produção midiática, sejam oriundas de outros meios. Contudo – e por fim – , defendi um necessário olhar crítico sobre as relações de estudantes com música, de modo a dar visibilidade, bem como gerar problematização acerca dos interesses, estratégias e visões de mundo da indústria cultural (em seus diversos segmentos). Isso significa contemplar a diversidade musical – e, de forma mais ampla, sociocultural – em sala de aula, sem deixar de expor e refletir sobre relações assimétricas de poder no âmbito micro e macrossocial que tendem a orientar a forma como todos(as), na escola e fora dela, se relacionam com música(s) na atualidade.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ELIANE LEAO - UFG
Presidente - 1648016 - JEAN JOUBERT FREITAS MENDES
Interno - 2212127 - ZILMAR RODRIGUES DE SOUZA
Notícia cadastrada em: 02/04/2018 11:14
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa13-producao.info.ufrn.br.sigaa13-producao