PPGMUS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MÚSICA ESCOLA DE MÚSICA Telefone/Ramal: (84) 99474-6734 https://posgraduacao.ufrn.br/ppgmus

Banca de QUALIFICAÇÃO: PEDRO HENRIQUE MACHADO FREIRE

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : PEDRO HENRIQUE MACHADO FREIRE
DATA : 12/06/2017
HORA: 10:00
LOCAL: Sala 22 Escola de Musica
TÍTULO:

O USO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NA PERFOMANCE PERCUSSIVA COM MEDIAÇÃO TECNOLOGICA: UMA REFLEXÃO SOBRE O PAPEL DO PERCUSSIONISTA NO DISCURSO PERFORMATIVO E NA GESTÃO SUSTENTÁVEL


PALAVRAS-CHAVES:

Resíduos sólidos. Percussão. Mediação tecnológica


PÁGINAS: 50
RESUMO:

Este trabalho trata do uso de resíduos sólidos enquanto fonte sonora na performance percussiva. Buscamos compreender o papel do interprete percussionista ao relacionar ações da gestão sustentável/gestão de resíduos ao processo de criação performática com suportes tecnológicos/eletrônicos. A pesquisa é conduzida a partir da coleta de resíduos sólidos, posteriormente, realiza-se oficina de experimentação onde extraímos as sonoridades dos resíduos coletados a partir de técnicas percussivas aplicadas e criação de gestos musicais. Recursos tecnológicos são compreendidos neste estudo enquanto fundamentais na potencialização das performances em questão e das sonoridades resultantes. O uso de mediação tecnológica aplicado ao instrumental selecionado é discutido sob o aporte de CAMPOS (2012), CAMPOS (2008) e IAZZETTA (2009). O objetivo deste trabalho é compreender o percussionista enquanto protagonista na criação do discurso musical, bem como expor as soluções técnicas e gestuais por ele desenvolvidas para a performance com resíduos sólidos. A pesquisa culmina descrever os processos de criação das performances de duas obras utilizando a metodologia proposta: Microplastic Pet (2012), para plásticos amplificados, voz, percussão e computador, do compositor norte americano Matthew Burtner e Xxxxxxx (2017) do compositor brasileiro Caio Pierangele. Esta última é uma composição fruto da presente pesquisa e da colaboração entre compositor e interprete/autor, onde o interprete foi responsável pelas coletas, experimentações, concepções técnicas /gestuais e montagem do setup utilizando resíduos coletados e selecionados que se tornaram os instrumentos da peça, e a partir disto, o compositor criou a obra implementando uma programação computacional de interação eletrônica em tempo real, através do software Pure Data (Pd)


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1731258 - CLEBER DA SILVEIRA CAMPOS
Notícia cadastrada em: 09/06/2017 08:14
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa25-producao.info.ufrn.br.sigaa25-producao