Banca de QUALIFICAÇÃO: MARIANA PIRES GURGEL CALDAS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARIANA PIRES GURGEL CALDAS
DATA: 09/08/2013
HORA: 18:05
LOCAL: Mini auditório do PPGAU/UFRN
TÍTULO:

Título: SOBRE FORMA E PROCESSO - PROJETO DE UM CONDOMÍNIO DE CASAS A PARTIR DE PRINCÍPIOS DA GRAMÁTICA DA FORMA APLICADOS AO PROCESSO DE CONCEPÇÃO 

 


PALAVRAS-CHAVES:

Palavras-chave: Projeto de arquitetura; Gramática da forma; Modulação; Processo de projeto.


PÁGINAS: 110
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Arquitetura e Urbanismo
RESUMO:

Resumo: No contexto atual, verifica-se na cidade de Natal a implantação de condomínios residenciais horizontais em bairros periféricos, quando, em áreas centrais da cidade, há terrenos com um potencial construtivo reduzido, devido à sua limitação de gabarito, por exemplo, mas que se encontram livres, como reflexo, muitas vezes, da especulação imobiliária. Associando o exposto à pretensão de se estudar sobre o processo de projeto de uma metodologia específica, apresenta-se como objeto deste trabalho o projeto de um condomínio de casas a partir de princípios da gramática da forma, utilizados em seu processo de concepção, como uma possível resposta à contradição observada na cidade. Um dos objetivos específicos da dissertação, o mapeamento do processo de projeto, em andamento, tem registrado, nesse contexto, não só os condicionantes formais, mas também aspectos físicos, ambientais, legais e de sustentabilidade. Neste último ponto, os conceitos de modulação e racionalização da obra se tornaram aliados no que se refere à proposição de uma obra limpa, sem desperdícios e com menor impacto ao meio ambiente, mas ainda assim apresentando flexibilidade e variedade formal, no contexto da linguagem arquitetônica alcançada. A gramática da forma é um método de projeto criado na década de 70 por George Stiny e James Gips, e é utilizado tanto para a análise como para a síntese de projetos. Aqui, a metodologia vem sendo utilizada no processo de síntese de projeto, relacionando subtrações formais à programação arquitetônica das casas. Como resultado, chegou-se à proposição de cinco configurações de casas, diferentes entre si no que se refere à forma e à programação arquitetônica, distribuídas em três grupos geminados, que se repetem até o total final de dez volumes arquitetônicos. Para tanto, foram imprescindíveis também os estudos de ventilação do condomínio e as estimativas de área, realizados durante o processo de concepção.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1298938 - MAISA FERNANDES DUTRA VELOSO
Interno - 350497 - MARCELO BEZERRA DE MELO TINOCO
Interno - 1149450 - RUBENILSON BRAZAO TEIXEIRA
Notícia cadastrada em: 02/08/2013 12:41
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa01-producao.info.ufrn.br.sigaa01-producao