Banca de DEFESA: MARCELLI MONTEIRO MEIRA BASTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARCELLI MONTEIRO MEIRA BASTOS
DATA: 05/06/2014
HORA: 09:00
LOCAL: Mini-auditório do PPGAU
TÍTULO:

Hospital dia cirúrgico: do conceito e caracterização ao projeto de adaptação de uma edificação existente


PALAVRAS-CHAVES:

Palavras-chaves: Hospital Dia; Desospitalização; Programa de Necessidades; Projeto de Reuso.


PÁGINAS: 175
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Arquitetura e Urbanismo
RESUMO:

Resumo

Hospital Dia é definido pela Portaria nº 44 (SÃO PAULO. Secretaria Estadual de Saúde, 2001), como a assistência intermediária entre a internação e o atendimento ambulatorial, para realização de procedimentos clínicos, cirúrgicos, diagnósticos e terapêuticos, que requeiram a permanência do paciente na Unidade por um período máximo de 12 horas Na área de assistência à saúde, a questão da “desospitalização” está em pauta, tendo em vista o alto custo da internação prolongada, além dos riscos a que os pacientes estão expostos no ambiente hospitalar. O presente trabalho objetiva levantar o programa de necessidades de um Hospital Dia Cirúrgico e aplicá-lo no projeto de reforma/reuso de uma edificação existente, onde funcionou uma clínica de cirurgia plástica na cidade de Natal/RN e que se encontra desativada. O reuso de edificações é cada vez mais comum dentro do conceito da sustentabilidade, sobretudo nas grandes cidades onde praticamente não há mais estoques de áreas livres para novas construções, a não ser pela demolição do patrimônio edificado pré-existente ou pela sua reciclagem, requalificação, reconversão ou retrofit. Os procedimentos metodológicos adotados foram: pesquisa bibliográfica; estudos de referência diretos e indiretos; levantamento das condicionantes legais, através da análise da legislação vigente para a área e das normas para o tipo de projeto a ser desenvolvido; definição do programa de necessidades de um hospital dia cirúrgico; condicionantes climáticas da cidade objeto; reconhecimento da área do entorno da edificação objeto de intervenção; levantamento da edificação existente: digitalização das plantas fornecidas pelo arquiteto responsável pelo projeto original; conversa com o proprietário e visita técnica a edificação; elaboração da proposta de reforma/reuso, bem como escolha de materiais de acabamento pertinentes ao projeto. Por fim são apresentados os benefícios e dificuldades encontradas para se desenvolver uma proposta de reuso de uma edificação de uso hospitalar.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - FÁBIO OLIVEIRA BITENCOURT FILHO - UFRJ
Interno - 1672030 - NATALIA MIRANDA VIEIRA DE ARAUJO
Externo à Instituição - RONALD LIMA DE GOIS - UFRN
Presidente - 347627 - VIRGINIA MARIA DANTAS DE ARAUJO
Notícia cadastrada em: 12/05/2014 13:59
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa27-producao.info.ufrn.br.sigaa27-producao