Banca de QUALIFICAÇÃO: DOUGLAS DOURADO OLIVEIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : DOUGLAS DOURADO OLIVEIRA
DATA : 20/01/2021
HORA: 15:30
LOCAL: DEFESA REMOTA - https://meet.google.com/afk-pqsw-cez
TÍTULO:

NANOPARTÍCULAS DE ORGANOGEL ADVINDAS DE MICROEMULSÕES: UMA ABORDAGEM PROMISSORA PARA VEICULAÇÂO DA CURCUMINA

A curcumina é um polifenol obtido a partir do rizoma da Curcuma longa, conhecido popularmente como açafrão da índia. Neste rizoma, estão presentes de 3 a 5 % curcuminoides, sendo a curcumina componente majoritário e que tem se destacado devido a sua baixa toxicidade in vivo e elevado potencial biológico. Todavia, a curcumina é classificada pelo sistema de classificação biofarmacêutica como molécula classe IV (baixa solubilidade em água e baixa permeabilidade), o que compromete sua biodisponibilidade em meio fisiológico. Adicionalmente, esta molécula é susceptível a intenso metabolismo, sendo rapidamente eliminada, além de apresentar, instabilidade em pH gastrointestinal. Assim, o objetivo desta tese foi desenvolver, caracterizar físico-química e termicamente e avaliar a estabilidade em diferentes abordagens de uma microemulsão contendo curcumina, sistema base para a obtenção de nanopartículas de organogel destinadas a via oral. Para isso, foi desenvolvido inicialmente um diagrama de fases pseudoternário pelo método de titulação com água para obtenção de regiões de microemulsão (ME) cujos sistemas foram emulsificados por ultrassom. Uma composição óleo em água (O/A) com menor concentração de tensoativos e fase oleosa satisfatória para encapsulamento da curcumina foi selecionada. Este fármaco, foi encapsulado conforme metodologia de emulsificação utilizada para a microemulsão vazia. As MEs foram caracterizadas quanto a distribuição do tamanho de gotículas, condutividade elétrica, tensão superficial, reologia, morfologia e perfil térmico. A eficiência de encapsulamento foi determinada por cromatografia liquida de ultra eficiência (CLUE). Adicionalmente, foi determinada a estabilidade das MEs a longo prazo e em fluido gastrointestinal simulado. Os dados revelaram a obtenção de ME (isenta de fármaco) e Curc-ME (contendo curcumina) com um total de tensoativos de 15 %, o que impactou diretamente na quantidade de fármaco incorporado. Além disso, os sistemas revelaram características físico-químicas adequadas para uma microemulsão,  apresentando  distribuição do tamanho de gotículas monomodal e esféricas (22 ± 0,2 nm e PdI de 0.09 ± 0,07 para ME e 22 ± 0,7 nm, PdI de 0,07 ± 0,01 para Curc-ME),  valores de condutividade elétrica característicos de sistemas O/A (206 ± 6 μS cm – 1 para ME , 160 ± 3 μS cm – 1 para Curc-ME), baixa viscosidade aparente (2 x 10 -3 ± 0,02 Pa.s para ME e 5,3 x 10-3 ± 0,01 Pa.s para Curc-ME) e baixa tensão superficial (40,75 ± 0,41 dynes/cm  para ME e 40,37 ± 0,48 dynes/cm para Curc-ME). O perfil térmico foi sugestivo de encapsulamento da curcumina, comprovado pela sua quantificação em CLUE (98 % ± 0,73). Ademais, as MEs se revelaram estáveis ao longo de 90 dias bem como frente aos fluidos gastrointestinais simulados. Diante disto, Curc-ME revelou-se um potencial carreador destinado a via oral, dado a baixa concentração de tensoativos e gastroresistência in vitro atestada. Finalmente, o sistema apresentou características favoráveis para atuar como sistema de partida para obtenção de nanopartículas de organogel, carreador final desejado nesta tese.

 


PALAVRAS-CHAVES:

Organogel; gelificante de baixo peso molecular; curcuminóides; nanotecnologia; administração oral.


PÁGINAS: 120
RESUMO:

A curcumina é um polifenol obtido a partir do rizoma da Curcuma longa, conhecido popularmente como açafrão da índia. Neste rizoma, estão presentes de 3 a 5 % curcuminoides, sendo a curcumina componente majoritário e que tem se destacado devido a sua baixa toxicidade in vivo e elevado potencial biológico. Todavia, a curcumina é classificada pelo sistema de classificação biofarmacêutica como molécula classe IV (baixa solubilidade em água e baixa permeabilidade), o que compromete sua biodisponibilidade em meio fisiológico. Adicionalmente, esta molécula é susceptível a intenso metabolismo, sendo rapidamente eliminada, além de apresentar, instabilidade em pH gastrointestinal. Assim, o objetivo desta tese foi desenvolver, caracterizar físico-química e termicamente e avaliar a estabilidade em diferentes abordagens de uma microemulsão contendo curcumina, sistema base para a obtenção de nanopartículas de organogel destinadas a via oral. Para isso, foi desenvolvido inicialmente um diagrama de fases pseudoternário pelo método de titulação com água para obtenção de regiões de microemulsão (ME) cujos sistemas foram emulsificados por ultrassom. Uma composição óleo em água (O/A) com menor concentração de tensoativos e fase oleosa satisfatória para encapsulamento da curcumina foi selecionada. Este fármaco, foi encapsulado conforme metodologia de emulsificação utilizada para a microemulsão vazia. As MEs foram caracterizadas quanto a distribuição do tamanho de gotículas, condutividade elétrica, tensão superficial, reologia, morfologia e perfil térmico. A eficiência de encapsulamento foi determinada por cromatografia liquida de ultra eficiência (CLUE). Adicionalmente, foi determinada a estabilidade das MEs a longo prazo e em fluido gastrointestinal simulado. Os dados revelaram a obtenção de ME (isenta de fármaco) e Curc-ME (contendo curcumina) com um total de tensoativos de 15 %, o que impactou diretamente na quantidade de fármaco incorporado. Além disso, os sistemas revelaram características físico-químicas adequadas para uma microemulsão,  apresentando  distribuição do tamanho de gotículas monomodal e esféricas (22 ± 0,2 nm e PdI de 0.09 ± 0,07 para ME e 22 ± 0,7 nm, PdI de 0,07 ± 0,01 para Curc-ME),  valores de condutividade elétrica característicos de sistemas O/A (206 ± 6 μS cm – 1 para ME , 160 ± 3 μS cm – 1 para Curc-ME), baixa viscosidade aparente (2 x 10 -3 ± 0,02 Pa.s para ME e 5,3 x 10-3 ± 0,01 Pa.s para Curc-ME) e baixa tensão superficial (40,75 ± 0,41 dynes/cm  para ME e 40,37 ± 0,48 dynes/cm para Curc-ME). O perfil térmico foi sugestivo de encapsulamento da curcumina, comprovado pela sua quantificação em CLUE (98 % ± 0,73). Ademais, as MEs se revelaram estáveis ao longo de 90 dias bem como frente aos fluidos gastrointestinais simulados. Diante disto, Curc-ME revelou-se um potencial carreador destinado a via oral, dado a baixa concentração de tensoativos e gastroresistência in vitro atestada. Finalmente, o sistema apresentou características favoráveis para atuar como sistema de partida para obtenção de nanopartículas de organogel, carreador final desejado nesta tese.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1639820 - ARNOBIO ANTONIO DA SILVA JUNIOR
Presidente - 1178187 - ERYVALDO SOCRATES TABOSA DO EGITO
Externo à Instituição - FRANCISCO HUMBERTO XAVIER JUNIOR - UnP
Notícia cadastrada em: 18/01/2021 10:34
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa21-producao.info.ufrn.br.sigaa21-producao