Banca de DEFESA: ANA VITORIA ARAUJO FERNANDES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ANA VITORIA ARAUJO FERNANDES
DATA : 30/11/2020
HORA: 10:00
LOCAL: meet.google.com/kuu-oipp-heq
TÍTULO:

Entre estratégias, dinâmicas e capacidades: uma análise dos arranjos de governança das políticas de saúde do GoveRNo Cidadão/RN.


PALAVRAS-CHAVES:

Arranjos de governança. Política de saúde. Banco Mundial. GoveRNo Cidadão. Rede de Urgência e Emergência.


PÁGINAS: 120
RESUMO:

A presente dissertação trata dos arranjos de governança da política de saúde financiada pelo Banco Mundial, em especial, o projeto de regionalização da Urgência e Emergência do Governo Cidadão, no estado do Rio Grande do Norte. Optou-se por compreender esse fenômeno a partir do conceito da governança, aqui entendida enquanto teoria de estado. Sob a égide dos fundamentos do Sistema Único de Saúde, do desenho institucional do programa Governo Cidadão e do conceito de governança, a questão que impulsiona a pesquisa é qual o arranjo de governança na política de saúde do projeto GoveRNo Cidadão? O objetivo geral é compreender o processo de governança nas políticas de saúde financiadas pelo Banco Mundial no estado do RN, no período de 2013 a 2020, em especial o projeto regionalização da Rede de Urgência e Emergência. A base teórico-metodológica que dá sustentação à a análise encontra-se ancorada na perspectiva de Capano, Howlett e Ramesh (2015), que sugere que os estudos sobre governança compreendem três dimensões analíticas que para os autores são fatores importantes na explicação: i) dinâmica; ii) estratégica; e iii) capacidade de governança. Para eles, a dimensão dinâmica se contrapõe a ideia de que arranjos de governança são estáticos, reforçando que eles se modificam com o tempo. A natureza estratégica, por sua vez, refere-se aos múltiplos atores envolvidos na arena decisória, suas motivações e estratégias. Já a dimensão de capacidade trata de como esses arranjos são eficazes. Como modo de operacionalizar a pesquisa, optou-se por adotar uma abordagem qualitativa, mobilizando: a pesquisa bibliográfica, a análise documental e a realização de entrevistas semiestruturas. A análise de conteúdo e o uso do software IRAMUTEQ foram as técnicas adotadas para análise. Os resultados obtidos demonstraram que o histórico do Banco Mundial no Rio Grande do Norte, a taxa cambial, o programa do Governo Federal, o Brasil sem Miséria, favoreceram a celebração do acordo do empréstimo do Governo Cidadão. No que toca a política de saúde, o Ministério da Saúde, a partir da definição das Redes de Atenção de Saúde, e a mídia tiveram um papel fundamental na escolha dos projetos financiados no estado. Além disso, identificaram-se os atores que não estavam previstos no desenho institucional, mas exercem influência no arranjo de governança. Os dados também indicaram aspectos como a força da judicialização do SUS,  a alta rotatividade dos secretários de saúde, o ativismo institucional (RECH e SILVA, 2016) como uma estratégia e motivação de parte dos atores. No que se refere ao desempenho da política financiada pelo Governo Cidadão, houve um aumento de atendimentos regionalizados da urgência e emergência, a capacitação de profissionais especificamente da área de cardiologia adulta e pediátrica, sete hospitais regionais receberam equipamentos e foram reformados, além da consultoria que reestruturou a Secretaria de Saúde do Estado. Daí concluímos que o estudo indica que o modelo teórico adotado permite ter uma visão holística da governança, Além disso, considerando os preceitos constitucionais democráticos e participativos do Brasil, foi possível inferir que os arranjos de governança analisados apontaram para um modelo de governança baseado em um arranjo institucional “regulatório”, específico dos projetos financiados pelo Banco Mundial. Portanto, a análise da política de saúde do projeto GoveRNo Cidadão evidencia o modelo adotado pelo Banco Mundial, o qual assume o papel de ator financeiro.  


MEMBROS DA BANCA:
Interna - 1678705 - LINDIJANE DE SOUZA BENTO ALMEIDA
Externa ao Programa - 1410678 - RAQUEL MARIA DA COSTA SILVEIRA
Interno - 877.987.604-82 - RICHARDSON LEONARDI MOURA DA CAMARA - UFRN
Externa à Instituição - TEREZINHA CABRAL DE ALBUQUERQUE NETA BARROS - UERN
Notícia cadastrada em: 23/11/2020 09:42
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa16-producao.info.ufrn.br.sigaa16-producao