Banca de QUALIFICAÇÃO: VICTORYA ELIZABETE NIPO TEIXEIRA DE CARVALHO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : VICTORYA ELIZABETE NIPO TEIXEIRA DE CARVALHO
DATA : 26/05/2019
HORA: 14:00
LOCAL: a definir
TÍTULO:

Mariculturas na praia de Rio do Fogo/RN: Economia feminista e empoderamento na pesca


PALAVRAS-CHAVES:

Empoderamento Feminino. Gênero. Pesca Artesanal.


PÁGINAS: 34
RESUMO:

As relações de gênero e suas transformações envolvem subjetividades na formação do masculino e do feminino, a partir das quais são estabelecidas relações de poder, influenciando os demais aspectos da vida em sociedade, estruturando desigualdades sociais a partir das desigualdades de gênero. Esse contexto é constantemente reproduzido e pode ser observado na invisibilidade atribuída às mulheres no meio rural e, em especial, na pesca artesanal. Nas comunidades pesqueiras o regime de economia familiar prevalece, e, por isso, o modo de vida pesqueiro não pode ser dissociado das práticas produtivas, pois essas são marcadas pela divisão de trabalho cooperativo na unidade familiar que atribui às mulheres, o trabalho doméstico e as atividades em terra, e aos homens, as práticas realizadas no mar, consideradas as mais importantes não somente no processo de produção econômica, mas também na produção simbólica da vida. No entanto, a pesca artesanal no município de Rio do Fogo/RN é majoritariamente realizada por mulheres, as quais se denominam maricultoras por cultivarem, coletarem e beneficiarem algas marinhas. Essas mulheres constroem uma economia solidária e feminista na medida em que organizam a vida econômica com base na cooperação e solidariedade entre elas e suas famílias, resistindo a partir do exercício de um trabalho culturalmente exercido pelos homens. Dessa forma, o objetivo geral desse trabalho consiste em compreender como se deu o processo de empoderamento individual e coletivo das mulheres pescadoras na praia de Rio do Fogo. Para tanto, a metodologia desse estudo parte de uma abordagem etnográfica de natureza qualitativa, utilizando-se de entrevistas em profundidade com foco nas histórias de vida e trajetórias das maricultoras, da realização de oficinas, do uso do registro audiovisual e da observação participante como instrumentos de coleta de dados. Como técnicas de análise dos dados obtidos serão adotadas as análises de conteúdo e de discurso, fazendo uso do software Iramuteq

para facilitar a quantificação e permitir a análise estatística dos textos e do Ucinet para representação gráfica das redes sociais da comunidade, permitindo a análise dos dados relacionais e do papel das atoras no contexto local. Embora a pesquisa de campo seja concluída em setembro de 2019, já é possível inferir que o trabalho pelas mulheres na maricultura atesta a ocupação de um novo espaço e campo, resultando em mudanças nas relações sociais. Nessa perspectiva, a principal hipótese dessa dissertação é a de que o exercício da maricultura é um dos principais fatores responsáveis pelo empoderamento coletivo e individual das mulheres, as quais têm o seu trabalho reconhecido pela comunidade e ocupam papel significativo na economia local, demonstrando um maior empoderamento coletivo em relação às outras mulheres pescadoras em comunidades rurais do litoral do RN.


MEMBROS DA BANCA:
Externa ao Programa - 1149569 - ELISETE SCHWADE
Interna - 1715135 - JOANA TEREZA VAZ DE MOURA
Presidente - 3180158 - WINIFRED KNOX
Notícia cadastrada em: 16/05/2019 15:50
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa19-producao.info.ufrn.br.sigaa19-producao