Banca de QUALIFICAÇÃO: REBECA MAROTA DA SILVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : REBECA MAROTA DA SILVA
DATA : 22/06/2016
HORA: 10:00
LOCAL: Auditório II do Labplan
TÍTULO:

Dinâmica socioeconômica nos municípios produtores de energia eólica no Litoral da Costa Branca Potiguar (2000-2015)



PALAVRAS-CHAVES:

Desenvolvimento Regional. Dinâmica socioeconômica. Energia Eólica. Litoral da Costa Branca Potiguar. Sustentabilidade Ambiental.


PÁGINAS: 55
RESUMO:

No último decênio (2000-2015), o Rio Grande do Norte vem se destacando no cenário nacional de produção de energia renovável eólica. As justificativas para instalações de parques eólicos em território potiguar perpassam desde a discussão de sustentabilidade ambiental até desenvolvimento regional. Conforme o discurso acerca do desenvolvimento econômico, no presente trabalho busca-se responder a seguinte pergunta de partida: como se manifesta dinâmica socioeconômica da matriz energética eólica nos municípios potiguares que compõem o Litoral da Costa Branca do Rio Grande do Norte? O Litoral da Costa Branca Potiguar revela-se como uma região de grande potencial eólico potiguar e ao mesmo tempo com diversos problemas socioeconômicos. Levantada essa problemática, os principais objetivos que norteiam este trabalho tratam-se em: desenvolver uma discussão teórica sobre desenvolvimento econômico, sustentável e regional; compreender como a Energia Eólica se insere no contexto de desenvolvimento tanto em economias já desenvolvidas quanto na periferia; analisar a evolução e qualificação da socioeconomia dos municípios do Litoral da Costa Branca a partir da implantação dos parques eólicos; identificar como e/se o formato dos investimentos dos parques eólicos no estado possuem capacidade de alavancar o seu desenvolvimento econômico. Para melhor compreensão de como se manifesta a dinâmica socioeconômica de uma região periférica será adotada como plataforma metodológica o método de investigação histórico-estruturalista. Nesse paradigma os fatos históricos modificam as estruturas sociais, políticas e econômicas. Como hipótese principal, admite-se que o movimento dos investimentos em energia eólica potiguar conduz o fortalecimento das desigualdades locais, uma vez que o diálogo entre esta atividade econômica pouco interage com a dinâmica regional e acelera o processo de urbanização de forma desordenada agravando problemas sociais existentes. Por fim, justifica-se o trabalho em tela pelo recente movimento de implantação de novas matrizes energéticas sustentáveis ambientalmente em regiões periféricas com estruturas produtivas incipientes e com frágeis indicadores sociais. Dessa forma, vale investigar como uma nova atividade produtiva com elevados investimentos pode ser desenvolvida em regiões que historicamente têm sustentado limitados resultados produtivos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1958900 - FABIO FONSECA FIGUEIREDO
Externo ao Programa - 000.000.000-00 - JOSE GOMES FERREIRA - ULISBOA
Interno - 6347581 - MARIA DO LIVRAMENTO MIRANDA CLEMENTINO
Notícia cadastrada em: 15/06/2016 09:50
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa27-producao.info.ufrn.br.sigaa27-producao