Banca de DEFESA: LUIZ FELIPE DE OLIVEIRA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LUIZ FELIPE DE OLIVEIRA SILVA
DATA : 27/06/2016
HORA: 14:00
LOCAL: Sala do Observatório das Metrópoles. LABPLAN, 1o pavimento.
TÍTULO:

MOBILIDADE URBANA E PROJETOS ESTRUTURANTES NA REGIÃO METROPOLITANA DE NATAL: DESAFIOS RECENTES A UMA METRÓPOLE EM TRANSFORMAÇÃO


PALAVRAS-CHAVES:

Mobilidade Urbana; Projetos Estruturantes; Região Metropolitana de Natal; Estatuto da Cidade; Política Nacional de Mobilidade Urbana; Estatuto da Metrópole.


PÁGINAS: 155
RESUMO:

O crescimento acelerado das cidades causa o encontro de manchas urbanas e o aumento da influência política, econômica e social entre cidades próximas, acarretando um processo conhecido como metropolização, que, por sua vez, provoca consequências diretas sobre a forma como as pessoas e mercadorias circulam pelas cidades – ou seja, sobre a mobilidade urbana. Sobretudo nos países em desenvolvimento como o Brasil, onde as regiões metropolitanas (RM) carecem de interesse político e estruturas de planejamento que garantam a governança dessas áreas, os efeitos da metropolização podem causar impactos negativos irreversíveis sobre a mobilidade. Frutos das reivindicações da Reforma Urbana, instrumentos como o Estatuto da Cidade, a Política Nacional de Mobilidade Urbana e o recém-criado Estatuto da Metrópole emergem como suporte às RMs brasileiras no alcance de uma mobilidade eficiente. Conforme os dispositivos, as diversas ações urbanas devem ser planejadas em conjunto para o alcance de cidades mais ordenadas, socialmente justas e ambientalmente viáveis. A partir dessa conjuntura, a presente dissertação buscou mostrar se os principais projetos estruturantes de expansão urbana e viária implantados na Região Metropolitana de Natal (RMN), cujas transformações físico-territoriais se intensificaram nas últimas décadas, foram planejados em consonância com a gestão da mobilidade. Primeiramente foram listados os projetos mais importantes da metrópole funcional, composta pelos municípios da RMN que apresentam forte integração. Em seguida, foi estabelecido um critério denominado “Potencial de Coesão Metropolitana” para definir quais projetos apresentavam maior relevância sobre o território da RMN, visto que limitações desta pesquisa não permitiam a análise de todos os empreendimentos. Os projetos do Aeroporto Internacional Aluízio Alves, do Veículo Leve Sobre Trilhos e da Via Metropolitana apresentaram os maiores potenciais de coesão metropolitana, sendo analisados quanto a sua relação com a gestão da mobilidade, objetivo primordial da pesquisa. Para constar tal relação, foi verificado se cada projeto estruturante atende às diligências do novo tipo de mobilidade urbana desejável, isto é: promove investimentos nas áreas mais carentes de infraestrutura; provoca adensamento populacional e induz usos mistos do solo; contribui para a compacidade; estimula o acesso democrático da população a bens e serviços; possui uma estrutura que privilegia os meios de transporte não motorizados e  motorizados coletivos; possibilita a integração de modais; e busca acarretar menores danos ambientais. A partir dessa análise, é possível constatar se a RMN enseja a consolidação de um ambiente urbano com uma mobilidade eficiente, contribuindo para promover o desenvolvimento sustentável no seu território, ou se, de forma contrária, fomenta um crescimento desordenado ao permitir que projetos estruturantes sejam implantados de maneira descolada à gestão da mobilidade.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2432718 - ALEXSANDRO FERREIRA CARDOSO DA SILVA
Interno - 6347581 - MARIA DO LIVRAMENTO MIRANDA CLEMENTINO
Externo à Instituição - LARISSA DA SILVA FERREIRA - UERN
Notícia cadastrada em: 10/06/2016 13:57
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa26-producao.info.ufrn.br.sigaa26-producao