Banca de DEFESA: MARINA TATIANE RIBEIRO DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MARINA TATIANE RIBEIRO DA SILVA
DATA : 26/02/2021
HORA: 14:00
LOCAL: GOOGLE MEET
TÍTULO:

Avaliação Quantitativa da Introspecção na Literatura Histórica e sua Associação a Redes de Grafos


PALAVRAS-CHAVES:

Neurociências, Literatura, Introspecção, Processamento de Linguagem Natural, Análise Semântica Latente, Conectividade, Recorrência de Longo Alcance, Maior Componente Fortemente Conectado, Teoria de Grafos, SpeechGraphs.


PÁGINAS: 101
RESUMO:

Variações temporais de introspecção já foram associadas à mudança da forma do
pensamento. Em especial, a Era Axial (período de 800 BC a 200 BC), supostamente
denota um período de transição entre uma mente bicameral para uma mente mais

reflexiva. Outros argumentam que o período é caracterizado meramente por desenvolvi-
mento sócio-econômico, em vez de mudança de mentalidade. Uma mente bicameral seria

caracterizada por alucinações auditivas, vozes interiores associadas a agentes externos,
como deuses moralizadores no lugar de vontade própria. Tais respostas auditivas são

expressas em pacientes diagnosticados com esquizofrenia, que também podem apresen-
tar pouca conectividade na fala, conhecida como desordem da forma do pensamento,

que seria o pensamento “descarrilhado” apresentado na fala. A baixa conectividade é
exibida pela Recorrência de Longo Alcance, a habilidade de conectar o contexto atual
com algo que foi dito anteriormente. Em grafos não-semânticos, a Recorrência de Longo
Alcance é representada pelo Maior Componente Fortemente Conectado. Dessa maneira,
não é exagero assumir que ambos, baixa conectividade e introspecção, poderiam estar
associados a variações na forma do pensamento. Alguns estudos mostram o efeito da
educação sobre a baixa conectividade, inclusive, sugerem que este atributo da fala teria
amadurecido durante a Era Axial, apoiando, assim, a hipótese de uma mudança de
mentalidade durante o período. Outra hipótese seria a de que a transição entre tradições
orais para alfabetização estaria intrinsecamente ligada à uma transição de menor para
maior introspecção, respectivamente. Além disso, o uso computacional do Processamento

de Linguagem Natural, como Análise Semântica Latente, permitiu uma medida quan-
titativa de introspecção em textos das tradições Judaico-Cristãs, Greco-Romanas e da

Era Moderna. Portanto, propomos a análise quantitativa de introspecção em textos de
9 tradições históricas (≥ 4500 anos), além de sua evolução temporal e relação com a
conectividade da fala. Com o uso de Análise Semântica Latente e grafos não-semânticos,
nossos resultados mostram que mudanças de introspecção ocorreram durante a Era

Axial e outros períodos caracterizados por desenvolvimento econômico. No mais, a in-
trospecção tem uma relação direta com a Recorrência de Longo Alcance, sugerindo que

x

variações na linguagem estão associadas a mudanças na introspecção e na maneira de
pensar.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1243905 - DRAULIO BARROS DE ARAUJO
Externo à Instituição - MAURO COPELLI - UFPE
Presidente - 1660044 - SIDARTA TOLLENDAL GOMES RIBEIRO

Notícia cadastrada em: 18/02/2021 08:48
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao