PPGH/CCHLA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA Telefone/Ramal: Não informado https://posgraduacao.ufrn.br/ppgh

Banca de DEFESA: ADRIANO WAGNER DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ADRIANO WAGNER DA SILVA
DATA: 30/08/2012
HORA: 15:00
LOCAL: Sala C-5 do setor II de aulas
TÍTULO:

Engenharia nos sertões nordestinos: o Gargalheiras, a Barragem Marechal Dutra e a comunidade de Acari, 1909-1958.


PALAVRAS-CHAVES:

: Açudes e barragens, Combate as secas, Modernização sócio espacial, Engenharia, Intervenções técnicas, História Social da Técnica; Natal/Brasil.


PÁGINAS: 185
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: História
RESUMO:

No Brasil, entre fins do século XIX e as primeiras décadas do XX, os engenheiros politécnicos assumiram um importante papel na discussão da constituição de um país moderno. A problemática das secas no Nordeste brasileiro proporcionou a atuação desses profissionais, dentro de um processo intervencionista de maior monta, na concepção de planos e medidas propositivas para a integração do território afligido. Com a fundação da Inspetoria de Obras Contra as Secas (IOCS) em 1909, as ações de combate as secas seriam institucionalizadas e, a partir daí, os estudos realizados pelas comissões técnico-científicas passariam a ser aplicados de forma sistemática no Nordeste Brasileiro. Destarte, este trabalho tem como objetivo central compreender o processo histórico de implantação de toda uma infra-estrutura de caráter moderno pelo viés técnico profissional e suas conseqüências no espaço nordestino, em específico, no município de Acari no Estado do Rio Grande do Norte, na primeira metade do século XX. A política do poder público, através da instrução técnica-científica dos engenheiros politécnicos, daria ênfase, no decorrer do século XX, à edificação de açudes, barragens e canais de irrigação, poços, estradas de ferro, estradas de rodagem, entre outros elementos, que logo passariam a transformar o espaço-físico nordestino, especificadamente, o território acariense. Estas obras passaram a contribuir com a fixação do homem sertanejo a sua terra, promovendo a prática regular da agricultura mesmo em períodos de estiagens e, a integração, sobretudo, econômica do território acariense a outras regiões produtoras no Rio Grande do Norte e do Nordeste além de promover a modificação da paisagem do mundo sertanejo. Estas ações funcionaram como elementos de modernidade e progresso que transformaram o espaço ao favorecerem a formação de núcleos urbanos (redes urbanas) neste espaço.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 347654 - ANGELA LUCIA DE ARAUJO FERREIRA
Interno - 1673791 - HAROLDO LOGUERCIO CARVALHO
Presidente - 1149464 - HELDER DO NASCIMENTO VIANA
Notícia cadastrada em: 14/08/2012 08:47
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa07-producao.info.ufrn.br.sigaa07-producao