PPGH/CCHLA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA Telefone/Ramal: Não informado https://posgraduacao.ufrn.br/ppgh

Banca de QUALIFICAÇÃO: CLAUDIA REGINA REZENDE FERREIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CLAUDIA REGINA REZENDE FERREIRA
DATA: 27/08/2012
HORA: 09:00
LOCAL: Sala C-4 do setor II de aulas
TÍTULO:

Laços Familiares Entre Escravos No Rio Grande Do Norte Setecentista


PALAVRAS-CHAVES:

escravos africanos, escravidão, família, espaço


PÁGINAS: 54
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: História
RESUMO:

O tema do presente estudo já foi objeto de pesquisa de vários estudiosos, que buscaram desmitificar a teoria de que os escravos viviam em estado de completa anomia social, humanizando as relações interpessoais e deixando expressa a solidariedade existente nas senzalas e fora delas. Entretanto, os estudos ainda são muito incipientes e quase todos localizados na região sudeste, Bahia, Pernambuco e Maranhão. Para o Rio Grande do Norte, por ser uma região periférica, de menor importância econômica, e, possivelmente, por ter sido defendida até pouco tempo a tese de que a presença negra teria sido rara e inexpressiva na região, não há pesquisas bem fundamentadas sobre o assunto. O objetivo deste trabalho é demonstrar que as relações familiares e de parentesco entre escravos de origem africana na Capitania do Rio Grande, no período colonial (a exemplo das outras regiões brasileiras que já foram objeto de estudo de vários historiadores) existiu de fato ou; ao menos, contestar as certezas cristalizadas com relação a sua não existência, em virtude da teoria disseminada por uma historiografia tradicional, de que nessa capitania, não houve uma quantidade considerável de escravos que justificasse a formação de famílias e/ou redes de sociabilidade. O período analisado a princípio é o século XVIII, que poderá por meio da análise da documentação existente, ser ainda recortado para um intervalo de tempo menor desse mesmo século. Por meio da documentação que será utilizada para a análise (registros de batismo, casamento e óbito que inclui um livro específico para os assentos de casamentos de pretos e pardos escravos entre 1727 e 1760) e; com o amparo de uma historiografia regional recente, que já admite a importância da mão-de-obra escrava de origem africana para a formação social, econômica e cultural da região, têm-se fortes indícios de que a constituição de famílias por parte desses cativos foi antes regra que exceção. O corpus documental, eleito para análise é composto pelos registros eclesiásticos da Freguesia de N. S. da Apresentação. A Freguesia de N. S. da Apresentação, muito embora tivesse a sua sede na cidade do Natal, abrangia várias capelas localizadas em áreas circunvizinhas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1324248 - CARMEN MARGARIDA OLIVEIRA ALVEAL
Interno - 1788270 - JULIANA TEIXEIRA SOUZA
Interno - 350694 - MUIRAKYTAN KENNEDY DE MACEDO
Notícia cadastrada em: 13/08/2012 09:07
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa21-producao.info.ufrn.br.sigaa21-producao