PPGH/CCHLA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA Telefone/Ramal: Não informado https://posgraduacao.ufrn.br/ppgh

Banca de DEFESA: EMERSON JOSÉ FERREIRA DE SOUSA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : EMERSON JOSÉ FERREIRA DE SOUSA
DATA : 18/06/2021
HORA: 14:00
LOCAL: meet.google.com/owb-satm-rqz
TÍTULO:

“EXPERIÊNCIAS DE INVERNO”: A PRÁTICA DO ROUBO DE SANTO E A SACRALIZAÇÃO DE ESPAÇOS SERTANEJOS EM COMUNIDADES RURAIS DE POMBAL-PARAÍBA (1950-2015)


PALAVRAS-CHAVES:

Palavras-chave: sertões, experiências de inverno, roubo de santo, espaço, memória, identidade


PÁGINAS: 231
RESUMO:

Este trabalho investiga como o roubo de santo, prática realizada em prol das chuvas no Nordeste, constitui os sertões como espaço sagrado. A partir do roubo de imagens católicas, em especial a do Padroeiro das chuvas, São José, em comunidades rurais do munícipio de Pombal, analisamos essa experiência de inverno, seus significados e interesses cotidianos para compreendermos a sacralização dos espaços rurais no sertão paraibano. No campo teórico – com base em Certeau (1998), Segaud (2016), J. Assmann (2016), A. Assmann (2011), Dubar (2006), Hall (2006), Tuan, (1983), Hobsbawn (1997), Geertz (2008), Ingold (2012), Descola (2015), Haesbaert (2007) e Zambrano (2001) – a pesquisa operacionaliza os conceitos de espaço, memória, identidade, experiência, tradição e território, a fim de perscrutar os aspectos socioculturais mobilizados junto à prática para configurar essa espacialidade sertaneja. Como metodologia, a partir das análises de Meihy e Holanda (2011) e Delgado (2006), utilizamos a História Oral para problematizarmos as memórias em torno dessa prática religiosa, constituídas pelas narrativas daqueles que vivenciam o cotidiano local, percebendo como estas memórias atuam na formação de espaços da recordação e estabelecem identidades que territorializam as vivências sociorreligiosas nestas localidades. A análise iconológica de imagens e de artefatos da fé ligados ao roubo, baseada em Menezes (2003), e a apreciação de documentos escritos a respeito da vida de pessoas que ali habitaram complementam o aporte metodológico da pesquisa. Portanto, ao evidenciarmos que o roubo de santo ressignificou saberes, memórias e identidades comunitárias, constatamos que os sertões estudados constituem espacialidades sagradas. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - FRANCISCO FIRMINO SALES NETO - PPGH/UFRN
Externo ao Programa - 1718551 - LOURIVAL ANDRADE JUNIOR
Interno - 2277360 - MAGNO FRANCISCO DE JESUS SANTOS
Interno - 1088824 - RAIMUNDO NONATO ARAUJO DA ROCHA
Externo à Instituição - ROSILENE ALVES DE MELO - UFCG

Notícia cadastrada em: 08/06/2021 15:09
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa13-producao.info.ufrn.br.sigaa13-producao