PPGH/CCHLA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA Telefone/Ramal: Não informado https://posgraduacao.ufrn.br/ppgh

Banca de DEFESA: ISAC ALISSON VIANA DE MEDEIROS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ISAC ALISSON VIANA DE MEDEIROS
DATA : 13/07/2020
HORA: 14:00
LOCAL: VIDEOCONFÊNCIA
TÍTULO:

TERRITORIALIZANDO OS ESPAÇOS A PARTIR DA FÉ: TEMPLOS RELIGIOSOS E ATOS DE DESOBRIGA NO TERRITÓRIO DA FREGUESIA DO SERIDÓ (1788-1838)


PALAVRAS-CHAVES:

.


PÁGINAS: 247
RESUMO:

Propõe um estudo acerca do território da Freguesia da Gloriosa Senhora de Santa Ana do Seridó (1788 a 1838), a partir dos templos religiosos – matriz e capelas – construídos no recorte em questão. Segundo Marcelo Lopes Souza o território compreende-se por um espaço definido e delimitado por e a partir de relações de poder. Nesse sentido, aborda a territorialização da freguesia entendendo a Igreja Católica como agente modelador do espaço. Considera-se que a doutrina cristã se estabelece como um conjunto de práticas que tem como função o controle do território e das pessoas sobre as suas próprias diretrizes e interesses, a partir de estratégias que visam manter a existência e legitimar a fé, assim como a sua reprodução ao longo da história. A construção de templos religiosos tratava-se de uma dessas estratégias que agiam com o intuito de modelar o espaço conquistado com características cristãs que ajudassem a manter o controle e posse das terras sob o poder da Coroa Portuguesa em parceria com a Igreja Católica. Nesse sentido também agiam as desobrigas – processo pelo qual os padres se locomoviam pelo território realizando ritos cristãos –, a partir da assistência religiosa dada a população mais afastada dos centros da freguesia, os padres exerciam ao mesmo tempo certo controle e organização do território, evitando que seu “rebanho” se desviasse das normas cristãs. Já o conceito de Cristianização espacial apropriado de Cláudia Damasceno é essencial para discutir a espacialidade dos prédios religiosos dispostos na Freguesia do Seridó, assim como a contribuição destes para o controle e manutenção do poder da religião católica no território. Nesse sentido, o estudo parte do pressuposto de que uma porção da conquista da Igreja passava pela cristianização do espaço a ser dominado, dando a ele características próprias da sua religião, com o intuito de marcar o seu domínio e estabelecer um sistema de manutenção de sua fé entre a população que ali residia. Metodologicamente, parte de revisão historiográfica; seleção, coleta e análise quantitativa e qualitativa das fontes paroquiais – livros de batizado, casamento e óbito, que vão de 1788 a 1838 e que juntos somam um total de 4.024 registros – para estabelecimento de perfil das cerimônias ocorridas nos templos religiosos da freguesia, assim como a produção da trajetória do processo histórico de seus surgimentos e contribuição para a produção do território. Concluiu-se que a Freguesia do Seridó constituiu-se como um território cristão, tendo na figura dos templos religiosos um elemento de grande relevância para esse processo, já que os mesmos atuaram como centros difusores da religião católica – símbolo do sucesso da conquista portuguesa nos sertões – se entendermos que sua construção estava diretamente vinculada ao processo de povoamento das terras do sertão da capitania do Rio Grande do Norte, tendo o estabelecimento das povoações e sede da Freguesia estreitamente vinculado a construção desses edifícios na área a ser povoada.


MEMBROS DA BANCA:
Externa à Instituição - ELISGARDÊNIA DE OLIVEIRA CHAVES - UECE
Interna - 1324248 - CARMEN MARGARIDA OLIVEIRA ALVEAL
Presidente - 2432663 - HELDER ALEXANDRE MEDEIROS DE MACEDO
Notícia cadastrada em: 03/07/2020 15:27
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa16-producao.info.ufrn.br.sigaa16-producao