PPGH/CCHLA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA Telefone/Ramal: Não informado https://posgraduacao.ufrn.br/ppgh

Banca de QUALIFICAÇÃO: MAIARA SILVA ARAÚJO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MAIARA SILVA ARAÚJO
DATA : 30/08/2018
HORA: 08:00
LOCAL: Auditório A - CCHLA
TÍTULO:

SOLDADOS DA COROA: PARDOS, TRIGUEIROS E MULATOS EM CORPOS MILITARES DA CAPITANIA DO RIO GRANDE

(SÉCULOS XVII, XVIII E XIX)


PALAVRAS-CHAVES:

Administração militar. Capitania do Rio Grande. Sertões. “Mestiços”.


PÁGINAS: 74
RESUMO:

Examina o ingresso de sujeitos “mestiços” na administração militar da Capitania do Rio Grande, entre os séculos XVII, XVIII e os primeiros anos do século XIX. Para tanto, problematiza, por meio de uma análise quantitativa, o perfil social dos praças e oficiais que atuaram na administração militar desta Capitania, no intento de perceber qual era o lugar ocupado pelos “mestiços” nessa instância da burocracia colonial instaurada no Ultramar. Em consonância com essa análise, discute, também, o processo de institucionalização da administração militar na Ribeira do Seridó, sertões da Capitania do Rio Grande, que teve como primeiro marco territorial, em meio ao processo de interiorização da atuação lusitana na América, uma estrutura de caráter militar: a Casa Forte do Cuó, edificada entre os anos de 1686 e 1687. Metodologicamente, tomou como base o intercurso de escalas, discutido pelo historiador francês Jacques Revel, onde o macro (Capitania do Rio Grande) e o micro (Ribeira do Seridó) espaços se encontram no intento de abordar o papel da administração militar no processo de ocidentalização e territorialização da Ribeira do Seridó, bem como da composição social dos corpos militares existentes na Capitania do Rio Grande. Em termos documentais, tem como fundamento fontes militares (assentamentos de praça), paroquiais (registros de batismo, matrimônio e óbito) e judiciais (inventários post-mortem), referentes ao recorte espaço-temporal citados e que são examinadas através de um cruzamento de dados e das metodologias quantitativa, serial e qualitativa. Após análise dessa documentação, constatou-se, dentre outros elementos, que colonos de diferentes qualidades, condições e naturalidades se matricularam no serviço militar da Capitania do Rio Grande e atuaram de forma conjunta, por exemplo, na ocasião da Guerra dos Bárbaros. Constatou-se, também, que existem padrões nos assentos de praça da Capitania e que, em decorrência disso, não é possível traçar um perfil homogêneo e linear dos praças e oficias desse território colonial ao longo do recorte temporal estudado. Por fim, considera-se que este trabalho possibilitará preencher algumas lacunas historiográficas no que concerne à existência de pesquisas que discutem a administração militar na Ribeira do Seridó e na própria Capitania do Rio Grande, tendo como foco a atuação de sujeitos “mestiços” nesse âmbito da administração colonial.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1324248 - CARMEN MARGARIDA OLIVEIRA ALVEAL
Presidente - 2432663 - HELDER ALEXANDRE MEDEIROS DE MACEDO
Interno - 1879280 - LIGIO JOSE DE OLIVEIRA MAIA
Externo à Instituição - THIAGO DO NASCIMENTO T DE PAULA
Notícia cadastrada em: 27/08/2018 10:42
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao